quarta-feira, 5 de abril de 2017

UFRN: Escritor nigeriano faz palestra sobre "Literatura infantil de raiz africana" nesta sexta-feira (7)

Nigeriano Sunny fala sobre literatura infantil africana
O escritor nigeriano Sunday Ikechukwu Nkeechi (Sunny) faz palestra nesta sexta-feira (7), no auditório do Centro de Educação da UFRN, em Natal, às 19h30. Sunny fala sobre o tema "Literatura infantil de raiz africana.

O evento, promovido pelo Grupo de Pesquisa "Ensino e Linguagem", vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em parceria com a Paulinas Editora, é dirigido a estudantes e professores das redes pública e privada que atuam na Educação e na Literatura. A inscrição é gratuita e pode ser feita por meio de e-mail para baseliteratura@yahoo.com.br, informando - Assunto:Sunny. Inscreva-me na palestra de Sunny.

Sunny mora no Brasil e é graduado em Letras e Educação Física. Interessou-se pelo país quando, ainda criança, soube da existência do jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento - o Pelé. Tem vários livros publicados, e em sua obra reconta histórias da tradição africana que ouviu de seus antepassados. Histórias como "Ulomma; As aventuras de Torty a tartaruga"; e "Contos da lua e da Beleza perdida".

segunda-feira, 27 de março de 2017

Natal: 1ª Jornada Potiguar de Leitura e Educação tem palestras de Roseana Murray e Marly Amarilha

Evento promovido pelo Projeto Casa das Palavras terá palestras da autora infantil carioca Rosena Murray e da autora e professora da UFRN, Marly Amarilha. A 1ª Jornada Potiguar de Leitura e Educação, destinada a professores da rede pública e privada, acontece durante todo o dia 7 de abril, no auditório da FIERN, em Natal.

Roseana Murray
A autora infantil Roseana Murray, que fala no período da tarde, publicou seu primeiro livro em 1980. Desde então, foram cerca de 60 títulos publicados para o público infantil. Murray é formada em Língua e Literatura Francesa, pela Universidade de Nancy. Em 2002, recebeu o Prêmio Academia Brasileira de Letras, com o livro Jardins, em parceira com Roger Mello. 


A professora Marly Amarilha, palestrante no período da manhã, é titular no programa de pós-graduação em Educação da UFRN, responsável direta pela introdução do ensino de Literatura no curso de Pedagogia. É graduada em Letras em Português e Inglês, e doutora pela University of London (Inglaterra), e é autora dos livros "Estão mortas as fadas?" e "Alice que não foi ao Páis das Maravilhas: educar para ler ficção na escola". 

Marly Amarilha
A Jornada também contará com a participação de três editoras do Rio Grande do Norte - a Comunique a CJA e a Jovens Escribas, que estarão com seus principais autores no evento em contato com os educadores. A expectativa dos organizadores é de que o evento promova o encontro de representantes de mais de 100 escolas da rede pública e particular estadual e municipal com mais de 15 autores. 

As inscrições para a Jornada são feitas mediante indicação de represantes das escolas convidadas. "Nosso objetivo é poder mostrar para os educadores das escolas públicas e privadas que existe boa produção editorial aqui no RN, e que não deixa nada a desejar entre o que existe de melhor no país, tanto em conteúdo, orientação didática, como também em qualidade gráfica", explica o coordenador do projeto Casa das Palavras, Rilder Medeiros. 

A Jornada também vai contar com a apresentação de grupos e artistas do estado, entre eles, o poeta e cordelista mossoroense Antonio Francisco e o grupo de teatro natalense "Facetas, Mutretas e Outras Histórias".

Outra participação confirmada é do representante da campanha mundial Two Sides, de valorização da comunicação impressa, Fábio Arruda Mortara, que realiza palestra sobre a sustentabilidade e confiabilidade da impressão gráfica de livros.

sábado, 18 de março de 2017

RN: Educação estadual tem forte presença na maior feira de ciências do Brasil

Estudantes do RN têm sempre presença na Febrace
Por Jorge Ivan Barbosa

A escola pública do Rio Grande do Norte tem forte presença na Feira de Ciências e Engenharia da USP (Febrace), maior evento do gênero no país, com 07 trabalhos produzidos por alunos norteriograndenses. A Febrace acontece no período de 20 a 24 deste mês, nas dependências da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), na capital do estado de São Paulo.

O Rio Grande do Norte estará representado na Febrace pelos projetos científicos elaborados por alunos da Escola estadual "Severiano Melo" (Severiano Melo), com o trabalho "A utilização do produto Bemisia S (óleo de algodão) nas plantas da região que são afetadas pela mosca branca"; da Escola Estadual "Silvestre Veras" (Espírito Santo do Oeste - Paraú), com o trabalho sobre "Avaliação da ação inseticida do extrato do velame (Cróton Heliotropifolius) no combate ao barbeiro; da Escola Estadual "Professor Hermógenes Nogueira da Costa" (Mossoró), com o trabalho "Embacaju: embalagem biodegradável produzida a partir do reaproveitamento da folha de caju".

Trabalho feito por estudantes da Escola Estadual "João Abreu" (Baraúna), com o projeto científico "Madeco Sabugosa: Madeiras ecológicas, provenientes da reuitilização do sabugo da palha do milho"; da Escola Estadual "11 de Agosto" (Umarizal), com o trabalho "Tapete de Segurança: uma alternativa para a prevenção de acidentes domésticos com crianças de 0 a 9 anos de idade"; da Escola Estadual "Aída Ramalho Cortez Pereira" (Mossoró), com o trabalho "The book its (Long time support): produção e aplicação de uma rede social educaciona como meio de ensino e aprendizagem"; e da Escola Estadual "Abel Coelho" (Mossoró), com o projeto científico "Propriedades do extrato glicólico feito à base da casca da planta do neem (Azadiracht indica)".

O avanço da presença do Rio Grande do Norte na feira de ciências da USP está relacionado com o projeto de iniciativa da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) de estímulo ao trabalho de pesquisa em escolas de ensino médio do semi-árido potiguar.

A Febrace se firma como um amplo movimento nacional de estímulo ao jovem cientista reunindo todo o ano na USP, desde 2003, projetos de várias partes do país.

domingo, 12 de março de 2017

Natal: Salesiano tem cursos de formação com professores da Finlândia

Pauta Tadeu Oliveira

O Colégio Salesiano prepara um curso de formação para seus docentes com a marca da qualidade de quem é referência mundial em Educação, a Finlândia. O curso de formação de docentes para o século XXI, que envolve os colégios Salesiano São José (Ribeira, Natal) e Dom Bosco (Nova Parnamirim, região metropolitana), acontece no período de 20 a 24 de março.

Com a presença de aproximadamente 80 educadores do complexo de educação Salesiano, envolvendo docentes do ensino infantil ao ensino médio, o curso será realizado nas dependências do Salesiano São José.

Feito em parceria com a Tampare University of Applied Sciences (TAMK) e Hänw University of Applied Sciences (HAMK), da Finlândia. A equipe de formadores tem a presença em Natal dos professores Irma Elina Kunnari e Juha Antti Tapio Lahtinen.

A Finlândia se notabiliza também por ter um dos currículos mais avançados do mundo. A educação finlandesa enfatiza a valorização do professor e os projeto interdisciplinares, e oferece em sala de aula as mais avançadas ferramentas digitais.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Primeiro Mundo: Escola SESC do Rio de Janeiro recebe 04 novos estudantes potiguares

Marcelo Queiroz e os novos alunos da Escola SESC - RJ
A Escola SESC de Ensino Médio, do Rio de Janeiro, considerada a melhor do gênero no país, recebe este ano quatro novos estudantes do Rio Grande do Norte. Estarão estudando na verdadeira escola de tempo integral, padrão primeiro mundo, a macaibense Jéssica Alves, e os alunos caicoenses Wiliana Medeiros, Matheus Medeiros e Arthur Junqueira.

Os novos estudantes da ESEM e seus familiares foram recebidos para um almoço de confraternização na terça-feira (21) pelo presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Queiroz. Na oportunidade, que também contou com a presença da diretora regional do SESC - RN, Jeane Amaral, Marcelo Queiroz fez um relato do que é a moderna escola do SESC - RJ, que será também o lar dos alunos nos próximos três anos. O Sistema Fecomércio é a entidade que compreende também o SESC e o Senac.

"Considero vocês já vencedores", afirmou na ocasião o empresário Marcelo Queiroz. Os quatros estudantes vencedores disputaram as vagas com 223 concorrentes no âmbito do Rio Grande do Norte. A Escola SESC de Ensino Médio do RJ oferece este ano 164 vagas para todo o Brasil.

“A ESEM é uma escola de primeiro mundo que oferece uma formação completa que inclui, além da grade pedagógica normal, aulas de Inglês, Espanhol, música, teatro e a prática de esporte. Há toda uma gama de conteúdo para os jovens de todo o Brasil. Desejo sucesso e que vocês aproveitem a oportunidade, que é ímpar”, ressaltou Marcelo Queiroz.

A Esem é uma escola de referência no país, com turmas de no máximo 15 alunos que recebem todo o suporte acadêmico, com sólida formação em inglês, espanhol e tecnologia, atividades artísticas, culturais e esportivas, além de intercâmbio com escolas norte-americanas. Além dos quatro selecionados para este ano, outros 34 alunos potiguares já concluíram o ensino médio na escola.

“Quando eu soube da Esem, pesquisei, vi que ali era onde eu queria estar. Espero ampliar meu conhecimento, uma oportunidade para eu ter um ensino melhor, já pensando no meu futuro”, declarou Wiliana Medeiros.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Destaque Potiguar: A visão da reitora da UFRN sobre a realidade da mulher atual

Por Isaias Oliveira
Trecho de matéria publicada na Revista Foco na edição deste mês

Avanços e desafios refletem bem a caminhada das mulheres no contexto da sociedade moderna desde os acontecimentos de 8 de março de 1857 em uma fábrica em Nova Iorque, quando operárias em greve reivindicavam redução da jornada de trabalho, que chegava a 16 horas diárias, para 10 horas. Operárias que, embora trabalhassem dois terços das horas do dia, recebiam apenas um terço dos salários dos homens.

Reitora Ângela Paiva
Avanços e desafios, nesta ordem, representam conquistas obtidas com muita luta, e obstáculos que se apresentam a todo o momento e em todas as partes do mundo. O dia 8 de março, representativo da luta de mulher, que se estende por milênios e que já acontecia antes dos acontecimentos na Nova Iorque de 1857, permanece apontando para um contexto atual ainda injusto e com múltiplos desafios a serem superados. 

A mulher não apenas vota, mas é votada e já comanda importantes países no mundo, é legisladora, está à frente de instituições internacionais, comanda empresas multinacionais, é legisladora e ministra da suprema corte, está antenada com o mundo do empreendedorismo, tem consciência da necessidade de se capacitar profissionalmente, e prioriza a busca do conhecimento. 

Já atua na sociedade com um protagonismo que lhe coloca como sócia do homem no esforço por uma vida melhor e por uma cidadania plena. A presença da mulher nas universidades já é igual ou superior a presença masculina, e sua presença no mercado de trabalho é crescente. Contudo, o mercado de trabalho ainda não dá à mulher o tratamento que é dispensado ao homem. A remuneração da mulher ainda é menor e essa constatação se faz presente nos mais variados setores produtivos da sociedade. 

A mulher ainda é vítima da violência doméstica e urbana, e essa violência permanece em diversas regiões do mundo sendo colocada para debaixo do tapete. 

A luta cotidiana de conquistas não pode perder de vista a trajetória histórica de afirmação vivida por milhões de mulheres ao redor do mundo em busca da dignidade e da cidadania. A reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ângela Maria Paiva Cruz, chama a atenção para o fato de a mulher ter sido vista historicamente de forma inferior com relação ao homem, e que a conquista de direitos e de espaço tem acontecido, mas a percepção sobre sua realidade não tem mudado na mesma proporção. 

“Nessa segunda década do século XXI, por termos o direito igualitário de votar e ser votada pode parecer que sempre foi assim. O que não é verdade. Historicamente fomos vistas de forma tão inferior, que votar só cabia ao homem. Basta ver que primeira mulher a votar no Brasil foi Celina Guimarães, professora nascida em Mossoró. O fato é de novembro de 1927 e como se vê, um passado muito recente. Talvez por isso a realidade feminina seja tão desafiadora. A maioria continua com os sonhos de suas avós, como, por exemplo, o de ser mãe, e sonhando, também, com outros papeis sociais. Queremos dizer com isso que os direitos da mulher foram conquistados a partir de lutas, mas ainda não estão ao alcance de todas, se considerados principalmente os fatores econômicos e culturais da sociedade patriarcal. O papel da mulher na sociedade atual avança no âmbito profissional, social, familiar, mas ainda há formas de observá-la sob uma visão conservadora, sob censura. Por vezes de forma explícita, por vezes de maneira velada. Em resumo, a sua realidade da mulher no mundo atual é muito paradoxal, uma vez que a conquista de direitos e de espaço de ação aconteceu, mas não mudou na mesma proporção a percepção sobre a sua realidade”. 

A reitora da UFRN observa uma presença maior da mulher em espaços que requerem qualificação no mercado de trabalho. “A busca de mais escolarização em nível superior e em cursos de qualificação é uma estratégia da mulher para se fazer presente no mercado de maneira qualificada, e não um “favor” da sociedade. Tanto, que as estatísticas de matrículas no ensino superior revelam uma maioria feminina. Considero essa uma forma saudável e corajosa da mulher buscar sua cidadania plena. A qualificação tem feito com que a mulher ingresse em diversos mercados de trabalho e em vários setores. São excelentes no que fazem. Formam grandes quadros docentes na educação básica e em muitas áreas da educação superior, por exemplo. Porém, observa-se que em alguns setores, mesmo quando apresenta qualificação igual à do homem, o salário da mulher é inferior. 
Creio que a escolarização tem sido um fator determinante para que outros direitos sejam garantidos e respeitados. No entanto, as questões não são apenas salariais. As condições de trabalho e o respeito ao ser mulher continuam sendo reivindicadas”. 

Ângela Paiva entende que um dos principais problemas ainda existentes na sociedade é a violência contra a mulher. “As ações da sociedade são as ações de cada cidadão e das instituições nela organizadas. Um dos principais problemas vivenciados na sociedade é a violência contra a mulher. Atualmente esse problema está mais visível em decorrência de leis, como a Maria da Penha, fruto também de uma corajosa mulher, vítima do seu marido. As lutas contra o preconceito e o assédio sexual são travadas continuamente no contexto social, na família, na escola, na rua e no trabalho, mas precisam avançar. As ações precisam ser educativas, para que imprimam mudanças comportamentais e culturais no âmbito familiar e escolar e, também organizacional, do trabalho. Mas, necessárias também são as ações ou determinações legais para que a violência não seja o fantasma por trás de cada porta onde mora, estuda ou trabalha uma mulher”. 

O importante é que as conquistas obtidas até agora não levem a uma acomodação por parte das mulheres, avalia a reitora da UFRN. “Gostaria de frisar, primeiro, que as questões concretas da luta da mulher não reforçam e nem nos colocam na condição de vítima, porque temos consciência de que somos fruto sensível de uma sociedade patriarcal. Louvável, nessa história, é que não nos acomodamos às condições desfavoráveis a nós mulheres e essa nossa “sensibilidade”, que podemos considerá-la também um “estado de consciência” nos possibilita enxergar a nossa condição de ser biológico diferente, porém politicamente, no sentido filosófico, igual ao homem. Ou seja, agimos e lutamos quando algo não vai bem ou nos incomoda". 

"Em muitos casos lutar por direitos nossos é uma questão não apenas de viver, mas de sobreviver e de não morrer. Lembro (agora) de uma pergunta que não cala para a mulher: por que temos que conquistar o direito de 'sermos' o que queremos ser? Observar a história e o contexto social explica que avançamos por "conquistas". Não precisava ser assim, no entanto, assim se constituiu a sociedade contemporânea. Nesse processo, o nosso grande desafio é sermos cidadãs no sentido pleno. Podermos pensar, escolher, decidir e ter o respeito do outro, independente de seu gênero”, completa a reitora Ângela Paiva.


Repercussão da participação da reitora Ângela Paiva na matéria especial da Revista Foco e no evento Destaque Potiguar em texto divulgado pela Agência de Comunicação da UFRN 

Ângela Paiva e o diretor da Revista Foco
Entre as 15 mulheres homenageadas na noite dessa quarta-feira, 15, pela Revista Foco Nordeste, a reitora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ângela Maria Paiva Cruz, declarou à publicação que os direitos e conquistas ainda não barraram a censura, a violência e as outras formas de discriminação à mulher. 

Assim como gestoras públicas, educadoras e empresárias, Ângela Paiva recebeu das mãos do diretor da revista, Marcus César de Morais, o Troféu Mulher Destaque Potiguar 2017. Em nome das homenageadas, a vereadora de Natal Wilma de Farias falou sobre as diferenças salariais entre homens e mulheres que ocupam os mesmos cargos e dedicou a premiação às mulheres anônimas que batalham diariamente pelo sustento familiar.

A homenagem aconteceu no auditório da Federação do Comércio do RN (Fecomércio) na presença de lideranças políticas, convidados especiais e familiares.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Mossoró: Estudante do Diocesano tem a maior nota do Brasil em Linguagens no ENEM 2016

Anna Karoline Almeida
A estudante mossoroense Anna Karoline Almeida Soares, 16 anos, é a dona da maior nota do Brasil em Linguagens no ENEM 2016. Cerca de 5,6 milhões de estudantes fizeram essa prova, e a aluna foi a única a atingir a margem entre 800 e 900 pontos; sua nota foi 846,4.

Anna Karoline é filha de professores, a mãe de Geografia e o pai de Inglês, e sempre mostrou afinidade com idiomas e interpretação de textos. Desde criança desejava ser médica, e agora aprovada com louvor no último SISU, ingressa no curso de Medicina da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN).

Na escola em que estudou desde os 3 anos de idade, Colégio Diocesano Santa Luzia, parceiro do Sistema Ari de Sá , Anna Karoline tinha como prática prioritária assimilar o conteúdo em sala de aula. “No Ensino Médio, eu assistia às aulas de manhã, buscando aproveitá-las ao máximo e, em casa, apenas revisava o conteúdo em cerca de uma hora. No último ano, além de revisar, separava uma hora e meia para focar no ENEM e tentava produzir de duas a três redações por semana”, conta a caloura.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

RPTV produz série audiovisual para auxiliar gestores da Educação

RPTV apresenta projeto voltado para gestores

A equipe da RPTV (Rede Potiguar de Televisão Educativa e Cultural) realiza produção de série audiovisual voltada para o trabalho de  gestão à frente de escolas e repartições educacionais. A série foi feita com a participação de pesquisadores, pedagogos e estudiosos da área da educação. O material está sendo distribuído, inicialmente, para todas as Diretorias Regionais de Educação e Cultura (Direcs), órgãos vinculados à Secretaria da Educação do RN, com a expectativa de que venha a ser utilizado como subsídio  no planejamento.  

Raimundo Melo, coordenador do projeto, observa que a distribuição do material para a utilização na prática do cotidiano dos gestores mostra um comprometimento da RPTV com a educação. "O material vai ser distribuído para todas as regionais do Estado e isso é uma prova no compromisso do projeto não só com a educação, mas com as práticas transformadoras e do trabalho em rede”ressalta. 

A Rede Potiguar de Televisão Educativa e Cultural é uma iniciativa do Centro de Documentação e Comunicação Popular com a Secretaria de Estado da Educação e da Cultura do RN, e conta com a parceria do Prêmio Itaú-Unicef e o patrocínio da Petrobras.



Obs.: Matéria feita a partir de texto da Assessoria de Imprensa da RPTV.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Ufersa tem usina solar que já responde por 7% da energia que consome

Estrutura da usina de energia solar da Ufersa Mossoró
A Usina Solar Fotovoltaica da Universidade Federal Rural do Semi-Árido foi inaugurada na manhã desta terça-feira (31), após dois meses de funcionamento em caráter de teste, pelo reitor da instituição, José de Arimatea. A usina se localiza na Ufersa  Mossoró, e a intenção da instituição é expandir o projeto para os campi de Angicos, Caraúbas e Pau dos Ferros, todos na região semi-árida do RN.
Apesar do pouco tempo de funcionamento, os professores e pesquisadores da instituição já constatam a viabilidade do projeto que resultou de um prêmio recebido pela Ufersa no ano de 2015 no valor de R$ 1 milhão.Naquele ano, a Ufersa conquistou a 2ª colocação no Prêmio Ideia, do Ministério da Educação, voltado para ideias inovadoras na economia de água e energia.
Instalada no Campus Leste, a Usina Solar da Ufersa é responsável pela produção de 7% da energia consumida na universidade, o que representa uma economia na conta de energia mensal de R$ 7 mil. “Ainda neste ano pretendemos triplicar a produção de energia solar na Universidade”, afirmou o reitor José de Arimatea.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Educação do RN lança edital do processo seletivo para cursos técnicos de nível médio

Por Thalita Freitas

A Secretaria da Educação do RN lança edital do processo seletivo para cursos técnicos de nível médio, na forma articulada integrada ao ensino médio. Estão sendo ofertadas mais de 2000 vagas distribuídas entre o Centro Estadual de Educação Profissional Jesse Pinto Freire (Cenep) e mais 55 escolas da rede de ensino do Estado. Os cursos têm duração de três anos para alunos egressos do ensino fundamental.

Os interessados devem se inscrever no período de 16 a 22 de janeiro, no site www.sigeduc.rn.gov.br, clicar em processo seletivo, digitar o CPF e preencher as informações solicitadas. Nesse campo será necessário colocar a média anual das disciplinas de português e matemática, do 9º ano. Isso porque a seleção considera a média aritmética das referidas disciplinas.

Entre os dias 23 e 24 de janeiro, a equipe do SIGEduc gera o processo seletivo pela média aritmética do aluno, das disciplinas de português e matemática do 9º ano, informadas no ato da inscrição. O resultado da seleção será divulgado no portal SIGEduc no dia 25 de janeiro.

Estão sendo ofertados os cursos de técnico em administração, informática, energia renovável, segurança do trabalho, manutenção e suporte em informática, guia de turismo, hospedagem, apicultura, mineração, edificações e agroecologia.

O estudante que concorrer a uma vaga em um dos cursos técnicos e sendo selecionado, no ato da confirmação de sua matrícula, não poderá estar com matrícula efetivada em outra instituição da rede de ensino do Estado. O estudante deverá solicitar o cancelamento da matrícula anterior, considerando que o SIGEduc só permite a efetivação de uma matrícula por aluno.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Brejinho: Escola estadual coloca a poesia no saco de pão nas manhãs da comunidade

Brejinho e a grandeza da poesia das crianças
Por Jorge Ivan Barbosa

A valorização da poesia como fator de crescimento intelectual e concreta possibilidade para aquisição de conhecimentos representa importante indicativo de uma educação voltada para o desenvolvimento humano. É pela vida da poesia que se estimula a criatividade e a capacidade de externar o que se observa, o que se pensa e o que se projeta sobre a realidade e o mundo em que se vive.

Investindo em uma educação que contemple o estímulo à poesia,a Escola Estadual Maria Augusto de Trindade, localizada na cidade de Brejinho, região Agreste do RN, tem despertado o gosto pela criatividade e pela escrita nos alunos, e mobilizado consumidores e o próprio comércio local.

Os alunos do 4º e do 5º ano do Ensino Fundamental estão elaborando poemas sobre os mais variados assuntos de suas realidades e da vida na comunidade, e cópias desses poemas são inseridas em sacos de pão pelas padarias da cidade. Com isso,a população tem a condição de tomar café lendo os poemas escritos pelos alunos.

A novidade, que tem surpreendido e agradado a comunidade, faz aumentar a procura pelos sacos de pão que contenhamos poemas, e também contribuído para a valorização da educação pública no município.

A parceria firmada com as padarias divulga as atividades elaboradas pelos alunos em sala de aula na disciplina de Língua Portuguesa, integrante do PIP (Programa de Inovação Pedagógica), que faz parte do Projeto RN Sustentável, do Governo do Estado, com recursos do Banco Mundial.

O PIP tem o objetivo de minimizar os problemas de aprendizagem enfrentados pelas escolas, contribuindo para a melhoria e fortalecimento da participação dos professores e alunos.

A Escola Estadual professora Maria Augusta Trindade, localizada na avenida Antônio Alves Pessoa , no centro de Brejinho, atende alunos das séries do ensino fundamental nos anos iniciais.

domingo, 18 de dezembro de 2016

A terra de Macau: Diogo Lopes, melhor lugar para viver

Por  Tadeu Oliveira

Eu morei no distrito de Diogo Lopes, município de Macau. Fui para lá por causa de suspeita de Coqueluche, uma doença respiratória que atacou crianças na década 60 na região salineira. Virou epidemia em Macau, as crianças eram imunizadas e saiam da cidade em busca de um ambiente mais sadio.

Segundo os especialistas, Coqueluche é uma moléstia infectocontagiosa aguda do trato respiratório transmitida pela bactéria Bordetella pertussis. O contágio se dá pelo contato direto com a pessoa infectada ou por gotículas eliminadas pelo doente ao tossir, espirrar ou falar. A infecção pode ocorrer em qualquer época do ano e em qualquer fase da vida, mas acomete especialmente às crianças menores de dois anos.

Diogo Lopes (Foto Getúlio Moura)
Eu estava com essa idade. Medicado por “Doutor Nagib” e orientado pela a eficiência do enfermeiro “João Neblina”, minha família foi obrigada a se mudar de ambiente, sair do setor urbano Macau para uma área tropical. Esse lugar, ideal para curar a doença, estava bem perto da quente Macau, a praia de Diogo Lopes, logo após a Praia de Barreiras.

Em Diogo Lopes, seguindo a orientação medicinal de João Neblina, eu tive que tomar diariamente, pela manhã e à noite, uma colher de lambedor feito da planta “Coroa de Frade”, não havia outra indicação de remédio.

O fruto da Coroa de Frade, um cacto de formato arredondado cheio de espinhos, se podia encontrar em uma área preservada de dunas nas proximidades. Eu mesmo ia buscar, antes as 6 horas da manhã, correndo na areia fria.

Na realidade, em Diogo Lopes fiquei curado mesmo foi pelo que a praia oferecia, sempre à minha disposição, sempre presente com o ar medicinal e puro.

Siri, caranguejo, aratu, lagosta e espécies de peixes como o avoador e carapeba faziam parte do meu cotidiano, tanto pelas manhãs como nos finais de tarde. O sol era o melhor alimento e a lua um acalento, eu dormia sem reclamar da gripe.

O Rio Grande do Norte precisa conhecer Diogo Lopes, chegar próximo dos seus segredos e mistérios. É lugar pra se ir e manter intimidade com a natureza, se não é chover no molhado.

domingo, 4 de dezembro de 2016

Natal: Aluno de escola estadual das Rocas representa RN em competição sul-americana de Luta Livre

Atleta vira referência na comunidade
Pauta Jorge Ivan Barbosa e Thalita Freitas

A dura realidade de um cotidiano de lutas por espaços e por um lugar ao sol em um bairro periférico de Natal, e a natural inquietação crítica típica da adolescência, estabeleciam para o jovem Matheus Lima dos Santos Belo, 15 anos, indicativos difíceis de serem superados. Morador do bairro das Rocas e estudante da tradicional Escola Estadual Café Filho, localizada em sua comunidade, Matheus conseguiu superar as adversidades naturais de seu contexto por meio do desporto escolar, da interação que o esporte vem permanentemente provando que é capaz de propiciar.

Matheus Lima, já destaque e referência em sua modalidade, vai representar agora no mês de dezembro, período de 10 a 18, o Rio Grande do Norte no Sul-Americano Escolar de Luta Livre, que acontece na cidade de Buenos Aires, Argentina. Matheus estará na competição de mais alto nível do desporto escolar da América do Sul, que reúne atletas de alto rendimento de vários países na faixa etária de 14 e 15 anos.

Colhe agora os frutos de uma opção de vida que privilegiou a Escola e o Esporte, e que o colocou dentro do treinamento das modalidades de luta, já aos 12 anos de idade, na época no Judô. O aluno considerado “brigão” por professores e pessoas da comunidade, trocava o esforço por um protagonismo inconsequente pelo aprendizado dos livros e das modalidades olímpicas de lutas.

Aos 14 anos, Matheus trocou o Judô pela Luta Olímpica, iniciando uma trajetória de conquistas que lhe renderam 04 medalhas em nível nacional, e 02 medalhas internacionais. Somam-se a esse grande desempenho, as seguidas vitórias em campeonatos locais. Este ano, por exemplo, Matheus foi tricampeão dos Jogos Escolares do Rio Grande do Norte (Jerns).

O agora aluno responsável tem se tornado uma referência dentro de sua família e na comunidade. Na casa onde mora com a avó e seus 3 (três) irmãos, o mais novo já segue seu exemplo como um desportista do Atletismo.

Para Matheus o maior aprendizado que o esporte lhe trouxe está ligado a disciplina e o senso de justiça. Aprendizado que agora procura aplicar em sua vida, seja na escola, junto a sua família ou na comunidade.

O treinador Fernando Antônio (36), diz que sua maior alegria é poder acompanhar as mudanças dos jovens atletas que iniciam uma nova etapa de vida e projetam seus futuros a partir do esporte. A Luta Olímpica, uma modalidade que caiu no gosto de diversas comunidades no Rio Grande do Norte, conta com a participação de 30 alunos/atletas da Escola Estadual Café Filho, entre iniciantes e competidores.

sábado, 19 de novembro de 2016

Ocupação da SEEC: governador dialoga com estudantes e é receptivo à pauta de reivindicações

Governador acata pauta de estudantes
O governador Robinson Faria foi quem menos falou, e também quem mais disse, na reunião ocorrida na tarde/noite de sexta-feira (18) na sede da Governadoria, no Centro Administrativo do Estado, em Natal.

A reunião, em si, era uma das reivindicações principais dos estudantes que ocupam parte do prédio sede da Secretaria da Educação do RN desde o início desta semana. Na reunião, os representantes da ocupação trataram de três pautas mais relevantes: criação de um fórum permanente de diálogo entre governo e estudantes voltado principalmente para a discussão da reformulação do ensino médio; não colocar em andamento nenhuma ação da medida provisória do ensino médio enquanto esta continuar sendo apenas MP; e bonificação das faltas dos alunos que estão ausentes das salas de aula devido ao processo de ocupação no prédio sede da SEEC e em algumas escolas.

O governador Robinson Faria ouviu repetidas falas e exaustivo debate sobre os assuntos em pauta e, falando pouco, foi receptivo aos pleitos dos alunos acatando a pauta de reivindicações. Decidiu que na próxima semana será publicada no Diário Oficial a portaria que cria o Fórum Permanente para o diálogo entre o governo e os movimentos estudantis.

Na sequência, concordou em não colocar em andamento a reformulação do ensino médio, enquanto esta for apenas uma Medida Provisória. Nesse caso, a única exceção será a implantação da escola de ensino médio em tempo integral, que no RN serão 16. O outro pleito, o da bonificação das faltas, também concordado pelo governador, ficou sob a responsabilidade da secretária da Educação, Cláudia Santa Rosa.

A reunião também abordou a precariedade na estrutura física de grande parte das escolas da rede estadual e a falta de segurança nos estabelecimentos de ensino, principalmente em Natal, região metropolitana e em Mossoró.

O governador Robinson Faria disse que a reunião teve um resultado satisfatório. “Gostei muito de nosso diálogo aqui, foi convergente, não teve nada divergente”, afirmou.

Participaram da reunião a secretária da Educação do RN, Cláudia Santa Rosa; a secretária do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha; a secretária adjunta da SEEC, Mônica Guimarães; a secretária da Comunicação, Juliska Azevedo; o deputado estadual Fernando Mineiro; o subsecretário da SEEC, Marino Azevedo; a coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN (Sinte/RN), Fátima Cardoso; e representantes do Comitê de Juristas pela Democracia, da Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Arquidiocese de Natal.