terça-feira, 17 de abril de 2012

14ª Campanha da Voz é aberta em Natal

Governo do Estado promove neste mês de abril a 14ª Campanha da Voz. Feita por meio de parceria entre a Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (SEEC), Secretaria de Estado da Administração e dos Recursos Humanos (SEARH), Escola de Governo do Rio Grande do Norte (EGRN), Associação Brasileira de Otorrinolaringologia (ABO), e a Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABLV), a campanha “A Semana Nacional da Voz” acontece de 16 a 20 deste mês.

No Rio Grande do Norte, os eventos ocorrerão nas cidades de Natal, Mossoró, Apodi, Pau dos Ferros e Caicó. Diversas atividades serão realizadas em todo o país com o intuito de orientar e conscientizar a população do uso adequado da voz. Orientando para que se evite o uso abusivo e o cansaço vocal que, com o tempo, pode causar nódulos, pólipos, Edemas de Reinke (cordas vocais inchadas, provocando rouquidão), cistos, câncer de laringe e a afonia (perda total da voz).


Em Natal, a Campanha da Voz foi aberta com evento participativo no Auditório Angélica Moura, da SEEC, segunda-feira (16), às 8h. Na abertura, as presenças da secretária estadual da Educação, Betania Ramalho, da diretora da Escola de Governo, professora Tânia Leiros, e do médico otorrinolaringologista, Pedro Cavalcanti. Após a abertura, aconteceu a palestra da fonoaudióloga Gabriela Sóstenes, sobre cuidados para preservação da voz.

A Semana da Voz prossegue nesta terça-feira (17) em Mossoró, quarta (18) em Apodi, quinta (19) em Pau dos Ferros, e na sexta-feira (20) em Caicó.

A ocasião tem grande relevância para os professores da rede estadual de ensino que fazem uso da voz com grande frequência em sala de aula. Nesse caso, o foco da Campanha vai para a necessidade de se desenvolver um trabalho preventivo com o intuito de contribuir para minimizar os riscos e seqüelas que o mau uso da voz  de forma constante pode causar.

Especialistas na área da Fonoaudiologia e Laringologia irão ministrar palestras, durante a Campanha da Voz, sobre os cuidados e orientações que devem ser seguidas pelos educadores para proteger na prática diária de suas funções.

Para os participantes também será possível realizar, durante o período da campanha, consultas e exames para avaliação e diagnóstico, com o encaminhamento, quando necessário, para tratamentos e terapias vocais, com a finalidade de reabilitar a voz.

A Academia de Brasileira de Laringologia e Voz destaca o  comportamento abusivo dos profissionais, como postura inadequada, ingestão de pouco liquido, especificamente água (hidroterapia), com isso, cerca de 2% dos professores brasileiros encontram-se afastados das salas de aulas por apresentarem distúrbios vocais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário