sábado, 22 de setembro de 2012

Candidatos falam sobre como pensam melhorar a Educação Pública de Natal

Na edição deste mês de setembro, a Revista Foco traz entrevista com quatro candidatos a prefeito de Natal sobre os mais variados temas relacionados com a Capital do Rio Grande do Norte. 

No AnoteRN iremos postar as respostas dos candidatos sobre uma pergunta relacionada com a Educação do natalense. Dois dos candidatos, por motivos que desconhecemos, não responderam as perguntas da Revista Foco. Inicialmente postamos as respostas dos candidatos Hermano Morais e Carlos Eduardo Alves. 

Hermano Morais
O que pode ser feito para que o povo de Natal se orgulhe de sua Educação Pública?

HERMANO MORAIS - Inúmeras são as razões ou justificativas que nos levaram a esta deplorável situação. Não basta apenas abrir as portas das escolas sem o compromisso de se formar cidadãos que farão a diferença no mercado de trabalho. O básico não é suficiente. O professor precisa se dedicar a um processo de formação continuada, senão corre o risco de se tornar um técnico da Educação, com conhecimentos superficiais.

Em Natal, temos quase 35 mil pessoas analfabetas. Por esta razão, vamos implantar um programa permanente de qualificação específica para professores e gestores das Unidades de Ensino, a fim de lhes propiciar atualização de conhecimentos, aperfeiçoamento da metodologia de ensino e especialização em resolução de conflitos, com acompanhamento da prática em sala de aula. 


A nossa plataforma prevê ainda um Sistema de Gestão Escolar com a finalidade de apoiar o processo administrativo e pedagógico em todas as escolas municipais, por meio do planejamento, da locação de professores nas escolas, e de alunos por turma, além de gerenciar o desempenho dos estudantes, com emissão automática de relatórios. 

Vamos garantir as nomeações decorrentes de concurso público, estabelecer padrões de qualidade para cada nível e modalidade de ensino, instituir um sistema de avaliação da escola, tendo como indicadores a evasão escolar, repetência, frequência de alunos e servidores, e os índices do IDEB, da Provinha e Prova Brasil. 

Outra medida para estimular a qualidade do nosso ensino, é instituir um sistema de premiação de acordo com o desempenho de Gestão Escolar. Pra isso, vamos garantir recursos financeiros, com prioridade absoluta, para o custeio e aprimoramento do ensino e aprendizagem. 

Carlos Eduardo Alves
CARLOS EDUARDO - A mudança na educação é um processo que precisa ser continuado, e de médio e longo prazo. Na nossa gestão construímos 28 novas escolas e reformamos 42, implantamos o Plano de Cargos para os professores e fizemos o Centro de Referência Aluizio Alves para atuar no treinamento permanente do pessoal da Educação. 

Chegamos a investir 28% das receitas em Educação. Foi um trabalho iniciado e que deu resultados positivos, mas era preciso continuar avançando, o que infelizmente a atual gestão não fez. 


Agora na nossa nova gestão temos algumas metas, a começar por recuperar a rede física que foi sucateada e garantir educação de forma universal e de qualidade para todos os alunos da rede pública. Precisamos construir nos quatro anos 20 Centros de Educação Infantil, 08 escolas de ensino fundamental e 06 escolas de ensino integral. A Educação é uma bandeira do meu partido desde os tempos do saudoso professor Darcy Ribeiro, que, com o governador Leonel Brizola, implantou as escolas em tempo integral. Queremos retomar esse projeto fazendo a integração entre a família, a comunidade escolar e os alunos.


Isaias Oliveira, Revista Foco 

Nenhum comentário:

Postar um comentário