quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

MEC divulga lista dos cursos de Ensino Superior suspensos por baixa qualidade

Aloizio Mercadante fala sobre os cursos reprovados
Lista publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (19) traz os 207 cursos de Ensino Superior de qualidade pífia e reprovados por avaliação do Ministério da Educação.

O Rio Grande do Norte não está presente na listagem dos cursos recalcitrantes que, por incompetência, estão dando uma significativa contribuição para piorar a qualidade de ensino no país.

Os cursos foram inadimplentes com a sociedade e, consequentemente, com seus alunos, por desempenho ruim na avaliação realizada pelo Sistema Federal de Ensino em 2008 e em 2011. 

Obtiveram índices 1 e 2, numa escala de variação que vai de 1 a 5, no Conceito Preliminar de Cursos (CPC), o que é considerado insatisfatório e prejudicial a sociedade.

Esses cursos estão impedidos de fazer vestibular em 2013. Desse grupo, 117 cursos poderão ter a suspensão de oferta de vagas revista ao longo de 2013 por terem apresentado uma tendência positiva - subindo de 1 para 2 pontos. 

O que, convenhamos, é uma "colher de chá" do MEC, já que nota 2, na escala de 1 a 5, está abaixo da média e reprovaria qualquer aluno. Nota 2 é sinal de que o curso está ainda caminhando para o estágio de mediocridade, para o meio do caminho.

Para os 90 cursos restantes, de tendência negativa, que conseguiram até mesmo piorar o que já era ruim, de 2008 para 2011, o quadro é irreversível até 2014. Os 16.903 alunos, que por alguma razão de desconhecimento do nível dos cursos, se inscreveram para fazer vestibular devem procurar outras instituições. Os que já fizeram exame e ainda não se matricularam poderão perder a vaga. "Passar no vestibular não é garantia de matrícula", lembra o ministro Aloizio Mercadante.

As instituições que apresentaram baixo desempenho terão que assinar um protocolo, no qual se comprometam a sanear em 60 dias as questões relacionadas a corpo docente (número mínimo de professores com dedicação exclusiva, mestrado e doutorado) e em 180 dias os problemas de infraestrutura (biblioteca, salas e equipamentos tecnológicos obrigatórios).

As punições fazem parte do conjunto de medidas de regulação e supervisão anunciadas nesta terça-feira, 18, pelo ministro da Educação, Aloizio Mercante, para enquadrar as instituições de ensino superior de má qualidade, avaliadas tanto no CPC, como no Índice Geral de Cursos. 

Caso não cumpram todos os compromissos que o MEC deve estabelecer com cada uma delas, as instituições poderão ser fechadas.

Os cursos e instituições com nota baixa já eram penalizadas com exclusão do Fies e do Prouni, programas do governo de estímulo ao acesso ao ensino superior.

Veja a lista dos cursos punidos

Nenhum comentário:

Postar um comentário