quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Prêmio Caern de Redação será entregue nesta sexta-feira (14)


Ívinna Ellionay, de Nova Cruz, vencedora da Categoria III
O Prêmio Caern de Redação será entregue nesta sexta-feira (14) em solenidade no auditório da Governadoria, Centro Administrativo Estadual, bairro de Lagoa Nova, Natal.

Serão premiados os três alunos vencedores nas categoria III (Ensino Médio), II (7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental) e I (5º e 6º anos do Ensino Fundamental).

A categoria III foi vencida pela Ívinna Ellionay Alves dos Santos - IFRN Nova Cruz (professora orientadora Elis Betânia Guedes da Costa); a categoria II teve em primeiro lugar Vitor Emanuel da Fonseca Rocha - Escola Municipal Marineide Pereira da Cunha - Mossoró (professora orientadora Anne Shirley); e a categoria I teve como ganhadora Maria Luíza dos Santos Dantas - Escola Estadual Presidente Kennedy - Natal (professora orientadora Rivanda Medeiros de Macedo Silva).

Os três estudantes tiveram seus textos selecionados como os melhores entre 130 trabalhos - gênero textual carta, por equipe de professores do projeto "Descomplicando a Língua" e técnicos de vários setores da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern).

Cada aluno vencedor receberá R$ 1 mil mais um tablet, o professor orientador receberá um tablet, e a a escola onde estuda o aluno vitorioso, um troféu.

O concurso da Caern mobilizou, em 2012, estudantes de 148 escolas localizadas em 44 municípios de diferentes regiões do Rio Grande do Norte.

A seguir, na íntegra, as três redações vencedoras

VENCEDORA NA CATEGORIA III (1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio)

ESTUDANTE : ÍVINNA ELLIONAY ALVES DOS SANTOS

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE - IFRN CAMPUS NOVA CRUZ

PROFESSORA ORIENTADORA : ELIS BETÂNIA GUEDES DA COSTA

Nova Cruz, 03 de setembro de 2012


Excelentíssimo Senhor Diretor-Presidente da CAERN,


Por tudo o que vem ocorrendo em todo o mundo, nó que se refere ao meio ambiente e com os problemas dele advindos, é fundamental fazermos uma reflexão acerca da importância de se preservar a água em nosso planeta. Trata-se de uma necessidade primária fundamental à sobrevivência de todos. Nesse sentido, cuidar da água implicará em uma vida saudável para o “homem humano”, como diria Guimarães Rosa, para os animais e as plantas.

Como sabemos, 70% do Planeta Terra é coberto por água, e ainda assim, ouve-se a possibilidade do seu desaparecimento. Já se faz hora das discussões enveredarem pelos campos do gerenciamento de seu consumo, pois até o momento prefere se falar mais em sua escassez a criar opções eficazes que possibilitem formas de melhor aproveitá-la.

No cenário mundial, o Brasil é privilegiado com cerca de 13% de toda água doce do mundo. Isto nos leva a não aceitar o fato de 20% de brasileiros não terem acesso à água potável, quando se vive em um país abundante, dono do maior rio, o Amazonas, capaz de desaguar aproximadamente 180 milhões de litros de água no mar por segundo, e as duas maiores reservas de água doce do planeta ( o Aquífero Guarani e o Aquífero do Chão). A realidade é que a água que temos nnão supre a necessidade de todos, não por ser insuficiente, e sim em virtude de sua má distribuição.

Caro presidente, considerando todos esses fatores, como pensar novas maneiras de se combater a escassez e o desequilíbrio da distribuição de água, se não houver uma mudança de comportamento da sociedade e das autoridades competentes? É preciso urgência no planejamento e nas ações, sem perder de vista uma questão fundamental, a saber : o desenvolvimento sustentável.

Não podemos manter ambições diversas, enquanto as questões básicas e essenciais, como o abastecimento de água e sua preservação, não forem atacadas de forma prática, direta. Todavia, prega-se a igualdade de direitos em uma sociedade que só se preocupa com o individual, o que nos faz lembrar mais uma vez Guimarães Rosa quando diz “um ainda não é um; quando ainda não faz parte com todos”, levando-nos a pensar que nada somos sem o outro.

De fato, todas as coisas que nos cercam são interligadas. Nessa direção, acreditamos que enquanto não se investir num grande projeto em torno de uma educação de boa qualidade, da base ao ensino superior, a fim de formar cidadãos conscientes, capazes de lutar pela preservação da natureza e garantia da sua existência para as gerações futuras, não estaremos deixando para o futuro caminhos sedentos de água, sedentos de vida?
VENCEDORA NA CATEGORIA II (7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental)

ESTUDANTE : VÍTOR EMANUEL DA FONSECA ROCHA – 9º ano

ESCOLA MUNICIPAL MARINEIDE PEREIRA DA CUNHA – MOSSORÓ/RN

PROFESSORA ORIENTADORA : ANNE SHIRLEY

Mossoró, 14 de Setembro de 2012

Senhor Diretor e Presidente da CAERN

Venho através desta carta, compartilhar com o Senhor minha reflexão a cerca dos desafios que norteiam a gestão da água no século XXI. Primeiramente, gostaria de ressaltar que a água é um recurso natural, de fundamental importância para a manutenção da vida na Terra. Nós, seres humanos, precisamos da água para saciar nossa sede, promover nossa higiene e alimentação, tais usos já seriam suficientes para justificar “o porquê” de se conservar os mananciais, mantendo-os disponíveis em termos quantitativos e qualitativos.

Sabe-se que o nosso país, concentra um grande potencial hídrico, contudo, existem desigualdades regionais na distribuição da água. O estado do Rio Grande do Norte, por exemplo, apresenta uma condição de oferta natural de água desfavorável, decorrentes de poucas chuvas, o que dificulta a existência de águas superficiais. Infelizmente essa realidade agrava o cenário da seca vivenciada no nosso estado. Neste sentido, cabe ressaltar seu importante papel como diretor da CAERN, em pensar estrategicamente mecanismos que propiciem a disponibilidade de água a todos os lares dos norte-riograndenses.

Porém, Senhor Diretor, não somente em quantidade, a água deve estar disponível com qualidade, e manter a qualidade da água é um desafio que só será vencido com a ajuda de todos que constituem a sociedade. A sociedade precisa acordar para os problemas decorrentes da poluição, da contaminação e do consumo insustentável da água. Embora muitos sejam os desafios, acredito que vencê-los é o que todos querem, entretanto, as práticas vistas no dia a dia não expressam esse desejo.

É, portanto, diante desse contexto que encerro minha carta, lembrando a todos que tiverem acesso a esta, que estamos de passagem por aqui, é preciso exercer a sustentabilidade, suprir nossas necessidades atuais sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprir as suas. Quanto ao Senhor Diretor e Presidente da CAERN, agradeço a oportunidade de poder expressar meus ideais, e parabenizo pelo seu trabalho, pois sei que não é fácil, e que muitos são os desafios a serem superados, mas espero que não desista. Eu não desistirei.


VENCEDORA NA CATEGORIA I (5º e 6º anos do Ensino Fundamental)

ESTUDANTE : MARIA LUÍZA DOS SANTOS DANTAS – Aluna do 5º ano

ESCOLA ESTADUAL PRESIDENTE KENNEDY - NATAL/RN

PROFESSORA ORIENTADORA : RIVANDA MEDEIROS DE MACEDO SILVA


Natal, 17 de setembro de 2012

Sr. Diretor-Presidente da CAERN,

Sabemos que a água é o desafio do século XXI, e sendo ela sim patrimônio do planeta Terra, precisa de nossos cuidados.

Esse bem tão precioso não deve ser poluído ou desperdiçado, pois a conservação do planeta depende dele. Nos últimos anos, aparecem várias propagandas em muitos lugares chamando atenção para a preservação e o cuidado com a água, mas quem ligado? Os humanos têm agido de forma irracional com a água, enquanto muitos ainda sofrem sem ela, se continuarmos assim, guerras acontecerão, não por dinheiro, terras ou petróleo, mas pela verdadeira riqueza da humanidade : a água.

Desse modo, a água merece respeito, pois é emprestada pela natureza, ela não é nossa, mas é a nossa fonte de vida. Sendo assim, vamos preservar e dela cuidar, para que hoje tenhamos qualidade de vida e as gerações futuras possam viver em um mundo melhor.


Eu, cidadã norte-rio-grandense, me preocupo com a água do nosso planeta e acredito que a solução deste problema seja uma campanha de conscientização permanente que contribua para a construção de atitudes de valorização, respeito e sobretudo de amor a vida, pois é o que a água representa.

Portanto, a água é bem do planeta que constitui maior parte do nosso corpo. Diante disso, devemos ser racionais, cuidados, usando apenas o que precisamos, agindo de forma responsável com tudo que nos traz vida. E se tudo que respira e vive precisa de água, então, porque não cuidar? Isso é cidadania!


















Nenhum comentário:

Postar um comentário