sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Ano letivo começa com pacto pela alfabetização em todo o Brasil

Capacitação de alfabetizadores em Natal
O ano letivo iniciado na quinta-feira (14) na maioria das escolas públicas do Brasil tem a responsabilidade de concretizar o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, chamado pelos burocratas que campeiam na Educação de Pnaic.

Apesar da sigla que não diz nada de nada, o Pacto pela Alfabetização tem tarefas ambiciosas pela frente. A principal delas é fazer com que não existam mais crianças analfabetas na faixa etária de 8 anos de idade.

4.997 municípios de 26 estados brasileiros, mais o Distrito Federal, aderiram ao Pacto em dezembro de 2012, o que representa 89,9% do país. O pacto tem por objetivo assegurar que todas as crianças sejam alfabetizadas ao final do 3º ano do ensino fundamental, aos 8 anos de idade.

Na implementação do Pacto, o Ministério da Educação trabalha na formação de uma rede que envolve Estados, municípios, universidades e escolas na capacitação, ensino e avaliação da fase que compreende o ciclo da alfabetização: 1º, 2º e 3º anos da educação básica.

37 universidades públicas estão responsáveis pela formação dos orientadores de estudo que irão capacitar os professores alfabetizadores. Até março a primeira etapa da formação - 40 horas do total de 400 horas, 200 por ano até 2014 - será concluída e será a vez dos professores receberem as aulas - com carga horária de 120 horas por ano.

Para incentivar a participação dos profissionais serão oferecidas bolsas de R$ 200 mensais para o professor alfabetizador; R$ 765 para o orientador de estudo; R$ 765 para o coordenador das ações do pacto nos Estados, Distrito Federal e municípios; R$ 1.100 para o formador da instituição de ensino superior; R$ 1.200 para o supervisor da instituição de ensino superior; R$ 1.400 para o coordenador adjunto da instituição de ensino superior; e R$ 2.000 para o coordenador-geral da instituição de ensino superior.

O Pacto receberá investimento de R$ 3,3 bilhões em dois anos. O material para a capacitação foi desenvolvido pela Universidade de Pernambuco (UFPE) com a colaboração de 11 instituições de ensino superior. 

De acordo com o Censo Escolar de 2011, existem cerca de 380 mil professores lecionando do 1º ao 3º ano do ensino fundamental. Eles receberão capacitação e o material desenvolvido para o planejamento das aulas.

De acordo com estimativas do Ministério da Educação, o Pacto terá 18 mil orientadores. Um orientador para cada 25 professores.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2000 e 2010, a taxa de analfabetismo no Brasil, até os 8 anos de idade, caiu 28,2%, com variações entre os Estados da federação, e alcançou, na média nacional, uma taxa de alfabetização de 84,8% das crianças. Entre as regiões, existe uma diferença na taxa de analfabetismo, a maior está no Norte, 27,3%, seguido do Nordeste, 25,4%,

Centro-Oeste, 9%, Sudeste, 7,8% e Sul, 5,6%. O Estado com a maior taxa de analfabetismo é Alagoas, 35%, e o com a menor é o Paraná, com 4,9%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário