domingo, 31 de março de 2013

40 horas de Angicos: Linha do Tempo mostra que país se acovardou diante da perspectiva das classes pobres se alfabetizarem

1993: Paulo Freire visita Angicos e se encontra com ex-alunos do projeto
As 40 horas de alfabetização de Angicos em 1963 alcançou repercussão global, tornou-se referência em programa educacional, virou tema de milhares de teses acadêmicas em todo o mundo. No Brasil, como não poderia deixar de ser, o projeto foi tratado como algo perigoso pelas elites dominantes - política e militar, nordestina e nacional.

A linha do tempo do projeto de Paulo Freire - 40 horas de alfabetização em Angicos, divulgada pelo jornal Tribuna do Norte, em Natal, é reveladora de um país que se acovarda diante da perspectiva de que as classes mais populares aprendam a ler e escrever, tenham consciência de seu papel na sociedade e passem a cobrar seus direitos.

Nos episódios que se seguem as 40 horas de Angicos não se pode colocar a culpa na superpotência, costume de políticos recalcitrantes brasileiros e nordestinos, pelo contrário, os Estados Unidos, através do presidente John Kennedy apoiou o projeto com o bem sucedido programa "Aliança para o Progresso".

Fevereiro de 2013: Ufersa Angicos reune ex-alunos de Paulo Freire
Não se pode responsabilizar tão somente os militares, acostumados a dar ordem unida nos quartéis e completamente despreparados para governarem um país com a dimensão e a complexidade do Brasil, a responsabilidade também recai nos chefetes políticos do interior de estados maltratados pela miséria, como o Rio Grande do Norte.

A Linha do Tempo do projeto das 40 horas de Angicos

1958

Julho - Paulo Freire apresenta as bases teóricas de seu sistema de alfabetização de adultos no II Congresso Nacional de Educação de Adultos, realizado no Rio de Janeiro

1962

13 de abril - O presidente do Brasil, João Goulart assina em Washington Acordo Brasil-Estados Unidos sobre o Nordeste.

Calazans Fernandes com John Kennedy
Setembro - Calazans Fernandes, Secretário de Educação do RN, se reúne com Paulo Freire em Recife (PE) para falar sobre o projeto de Angicos. Meses depois Calazans Fernandes apresenta o projeto de Paulo Freire ao presidente dos Estados Unidos, John Kennedy.

Setembro - O governador do RN, Aluísio Alves, Calazans Fernandes e Maria José Monteiro reúnem-se com Paulo Freire, em Recife. O educador aceitou participar do projeto em Angicos.

Paulo Freire apresenta projeto a João Goulart
Dezembro - Marcos Guerra, estudante de Direito e presidente da União Estadual dos Estudantes, a pedido de Paulo Freire, forma a equipe de alfabetizadores.

3 de Dezembro - Celebração do Convênio entre o MEC, a Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste), o Estado do Rio Grande do Norte e a Usaid (United States Agency for International Develpment), dentro dos propósitos do programa norte-americano "Aliança para o Progresso".

1963 

18 de Janeiro - Lançamento do projeto com a aula inaugural do Experimento de Angicos, com a presença de Aluízio Alves: 380 moradores começam a sua alfabetização.


24 de janeiro - Primeira aula regular do projeto sobre o tema: Conceito antropológico de cultura.

28 de janeiro - Primeira aula de alfabetização começando pela palavra geradora belota.

2 de abril - 40ª hora/aula dada pelo presidente João Goulart com a presença do governador do RN, Aluízio Alves, de vários governadores do Nordeste e de representantes da "Aliança para o Progresso".

Maio - A cidade de Angicos teve sua primeira greve. Os proprietários rurais chamam a experiência de Paulo Freire de praga comunista, como está registrado no livro de Calazans Fernandes.

29 de maio - Em carta a Aluízio Alves, o embaixador norte-americano Lincoln Gordon recomenda que o Programa de Angicos para a eliminação do analfabetismo seja adotado em todos os Estados.

Paulo Freire, o educador que se eterniza
2 de junho - Repercute a reportagem do jornal The New York Times sobre a experiência de Angicos. Para Angicos se deslocaram representantes de outros jornais tais como: Time Magazine, Herald Tribune, Sunday Times, United e Associated Press e Le Monde.

Outubro - Um grupo da Embaixada norte-americana visita o governador Aluízio Alves,em Natal, para preparar a visita do presidente John Kennedy a Angicos, programada para dezembro daquele ano (Kennedy seria assassinado, em Dallas, dia 22 de novembro do mesmo ano).

Segundo semestre - A experiência de Angicos é levada para outras cidades: Quintas (Natal), Mossoró, Caicó, Macau, Ubatuba, Osasco, Rio de Janeiro, Brasília, Aracaju, Porto Alegre e outras, como projeto-piloto do Programa Nacional de Alfabetização.

1964

21 de janeiro - O Decreto institui o Programa Nacional de Alfabetização consagrando o Sistema Paulo Freire para alfabetização em tempo rápido. O programa previa a criação de 60.870 círculos de cultura, para alfabetizar, em 1964, 1.834.200 analfabetos.

27 de janeiro - O Ministério da Educação designa Paulo Freire e outros membros para a Comissão Especial do Programa Nacional de Alfabetização.

14 de abril - Logo após o golpe de Estado de 1 de abril de 1964, o Decreto nº 53.886, de 14 de abril de 1964, extingue o Programa Nacional de Alfabetização.

15 de abril - Posse do general Castelo Branco na presidência da República.

16 de junho - Paulo Freire foi preso, acusado de subversivo e ignorante.

Freire, preso por ser educador de verdade
Setembro - Paulo Freire partiu para o exílio. Depois de uma rápida passagem pela Bolívia, seguiu para o Chile, onde permaneceu até 1969. Retorna ao Brasil apenas no final de 1979, e definitivamente, no ano seguinte.

1993

28 de agosto - Paulo Freire visita Angicos, 30 anos depois, e reencontra-se com antigos alunos, Marcos Guerra e monitores do projeto.

2002

Analisando os efeitos a longo prazo do método de alfabetização da experiência de Angicos, Nilcéa Lemos Pelandré (2002), após entrevistar alunos que se alfabetizaram em 1963, evidenciou que a aprendizagem mais significativa foi a elevação da sua autoestima e a consciência de não se sentirem mais excluídos do mundo letrado. Nesta tese de doutorado em linguística, a autora conclui que o segredo da eficácia de Angicos foi a promoção humana, professores preparados e motivados e imersão intensiva. Tempo curto, convívio intenso!


Fontes: Instituto Paulo Freire e livro 40 Horas de Esperança (Calazans Fernandes e Antônia Terra)

Leia também: RN lembra iniciativa do governo Aluizio Alves com o Método de Alfabetização de Paulo Freire em Angicos


Nenhum comentário:

Postar um comentário