quinta-feira, 28 de março de 2013

RN lembra iniciativa do governo Aluizio Alves com o Método de Alfabetização Paulo Freire em Angicos

Aluizio com Paulo: líder além de seu tempo

O Rio Grande do Norte relembra com homenagens e promessas de avanços a experiência do Método de Alfabetização Paulo Freire na cidade de Angicos que está completando 50 anos nestes meses de janeiro a abril de 2013.

A ação de Angicos, liderada pelo então governador Aluizio Alves, propôs a alfabetização de centenas de pessoas do Sertão Central Cabugi em 40 horas de aula. 

Mais do que a alfabetização em tempo recorde, algo que deve ser considerado com ressalvas, a idéia de Aluizio Alves era mostrar que o poder público podia e sempre pôde levar a Educação e a Alfabetização às camadas mais humildes da população.

Ele quis mostrar que a culpa pelo grau de despreparo, atraso, e analfabetismo, que campeava no Rio Grande do Norte tinha raiz e responsabilidade nas elites dominantes. Quanto mais despreparado e dependente seja o povo, mais fácil de se manter os privilégios das elites.

Aluizio Alves quis mostrar que a questão da Educação e da Alfabetização era e continua sendo uma questão de vontade política.

Discutir se a pessoa conseguiu aprender a ler e escrever, de verdade, nas 40 horas de aula, não é bem a questão, e Aluizio Alves sabia disso. O fato é que quem passou pela experiência das 40 horas de Angicos, sendo aluno, ganhou entusiasmo para continuar nos estudos; e quem passou pela experiência, na condição de monitor/educador, jamais perdeu de vista a importância do ensino para emancipação da pessoa e para o progresso social.

Trecho do discurso de Aluizio Alves no dia 2 de abril de 1963
Cinquenta anos depois da solenidade de encerramento do curso e entrega dos diplomas, a região do Sertão Central é convocada a relembrar a experiência das 40 horas de Paulo Freire em Angicos. Boa parte da programação será feita na grande estrutura da Ufersa (Universidade Federal Rural do Semi-Árido) em Angicos e em seu moderno auditório. 

Isso faz referência direta a visão do líder Aluizio Alves - a Educação, que chegou de forma experimental e no sentido de mutirão, para fazer com que as pessoas soubessem escrever o nome, ler um bilhete, e ter consciência de seu papel como cidadãos na sociedade, veio pra ficar 50 anos depois, robusta, forte, imponente (tal qual o pico do Cabugi), atendendo pelo nome de Ufersa e trazendo o desenvolvimento com conhecimento e progresso social.

A programação comemorativa 

A data comemorativa do 50 anos da experiência de Educação de Jovens e Adultos através de método desenvolvido pelo educador pernambucano Paulo Freire no município de Angicos, RN, terá programação de eventos nos dias 2 e 3 de abril.
Paulo Freire: 40 horas de alfabetização 

A programação será aberta na terça-feira (2), a partir das 14h30, no auditório central do Campus Angicos da Ufersa, com apresentação do cordelista Hailton Mangabeira, assinatura da Ordem de Serviço para construção do Memorial Paulo Freire e lançamento do Pacto Paulo Freire pela Educação de Jovens e Adultos.

Também no moderno auditório da Ufersa Angicos, às 16h30, o professor Marcos José de Castro Guerra, ex-coordenador de círculo de cultura, fará a conferência: “As 40 Horas de Angicos: Vítimas da Guerra Fria?”

Ainda na terça (2), à partir da 19h, no pátio em frente à Escola Estadual José Rufino, instituição que vivenciou a experiência das 40 horas, acontecem apresentações teatrais, círculo de cultura, exibição do filme “40 horas de Angicos” e documentário produzido pelo núcleo de referência da História e Memória da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Na manhã da quarta-feira (3), 8h, no auditório da Ufersa Angicos, acontece o lançamento da Revista de Informação do Semiárido (RISA), numa Edição Especial intitulada “Angicos 50 anos depois do trabalho pioneiro de Paulo Freire nas 40 horas”.
Marcos Guerra coordenou monitores


Em seguida, os professores Moacir Gadott, do Instituto Paulo Freire, e Joaquim Alcoforado, da Universidade de Coimbra/Portugal comandam mesa redonda sobre a influência de Paulo Freire nas práticas de Educação de Adultos no Brasil e em Portugal.

Haverá ainda, às 10h40, círculo de cultura, com relatos das experiências dos coordenadores dos círculos de cultura e ex-alunos do projeto das 40 horas.

Encerrando a programação, também no auditório da Ufersa, às 15h, a Câmara Municipal de Angicos concederá Títulos de Cidadão Angicano aos ex-coordenadores dos Círculos de Cultura e fará homenagens póstumas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário