sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Crise na Educação do RN: Betania Ramalho reage as denúncias de acumulação de cargos contra sua pessoa

Governo e principais lideranças políticas do Rio Grande do Norte continuam acompanhando com surpresa a briga de foice entre a secretaria estadual de Educação, Betania Ramalho, e a categoria dos professores.

Texto encaminhado pela Secretaria de Educação do RN as redações de veículos de comunicação na manhã desta sexta-feira destaca mais um round nessa briga que não tem nada de civilizada.
Rosalba Cialini e Betania Ramalho

A secretaria Betania Ramalho, desta feita, reage a denúncias contra sua pessoa de "malandragem" para acumulação de cargos e, consequentemente, a locupletação de dinheiro público em seu benefício.

Sobre o assunto, o texto vindo da própria secretária Betania Ramalho diz:

"Betania Leite Ramalho é professora aposentada da Universidade Federal da Paraíba, estado onde nasceu. É viúva do engenheiro e pesquisador da área de energias renováveis, professor José Wilson Lage Nogueira, de quem recebe pensão desde o seu falecimento, em 2011. É professora doutora do Departamento de Educação, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, de onde foi cedida para o Estado, para exercer o cargo de Secretária da Educação".

O texto diz também que as remunerações da professora Betania Ramalho - na UFPB e na UFRN, e mais a pensão de seu marido falecido, já atingem o teto remuneratório constitucional. Diante disso, em sua função de secretária, ela não tem qualquer acréscimo no salário.

A categoria de professores está dizendo nas redes sociais e nas grandes escolas do Rio Grande do Norte, que estão em greve, que a secretária Betania Ramalho, por ter um gordo conjunto de contra-cheques, todos vindos do erário público, não tem real dimensão da situação do professor da rede estadual.

Um comentário:

  1. Ela não recebe pelo estado salario e as diarias que ela vive no mundo , da Espanha para Brasilia... só um besta mesmo pra engolir esta corda. Ela gana muito mais com diaria do que se fosse remuneração.

    ResponderExcluir