Pular para o conteúdo principal

RN: Números do PNAD apontam juventude sem perspectiva e CNI lança programa

Por Tadeu Oliveira

Estatísticas que inquietam: O Rio Grande do Norte tem hoje exatamente 48.530 jovens na faixa etária de 18 a 24 anos, sem estudar, sem trabalhar, e sem qualquer perspectiva de vida. 

São pessoas em idade economicamente ativa que se concentram, em sua grande maioria, nas camadas mais pobres da população. Eles possuem baixa escolarização, e por esse motivo, apresentam deficiência na qualificação para um mercado de trabalho cada vez mais competitivo e seletivo.
Senai está dentro do novo programa

É a geração nem-nem.

O estado apresenta uma estatística desafiadora, nada satisfatória dentro do segmento educacional para o futuro de sua juventude. Uma geração sem políticas públicas, sem rumo, sem governo e sem futuro. Quem afirma isso são as estatísticas oficiais.

De acordo com dados apresentados pela Confederação Nacional das Indústrias (CNI), tendo como base tabulação realizada a partir dos micro-dados do PNAD (Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios), o Rio Grande do Norte tem hoje um grupo de 48.730 jovens, na faixa etária de 18 a 24 anos, fora da escola. Jovens que não costumam procurar emprego, mas que quando procuram, não conseguem. 

Essa turma da chamada geração do nem-nem praticamente lota o estádio Arena das Dunas.

Nesta faixa etária, o Rio Grande do Norte tem 158.170 jovens fora da escola; 109.640 que estão trabalhando; 25.763 que não procuram emprego; 22.767 que procuram emprego; e 56.924 que estão dentro da escola, estudando regulamente no ensino básico. 

Diante dessa realidade, a CNI está colhendo informações em todo o país junto a professores, cientistas sociais, jornalistas e gestores públicos para definição de um projeto sobre Educação Para o Mundo do Trabalho.

A CNI quer encarar o desafio da realidade do nem-nem e promover amplo debate sobre o assunto. 

No dia 30 de outubro, haverá em Brasília, apresentação do documento final e quem sabe, as escolas abram suas portas aos jovens que foram expulsos de lá, de uma forma ou de outra.

Que venha do setor privado a iniciativa para mudar o triste quadro em área onde o Estado tem se mostrado omisso e incompetente.

O debate estadual do projeto nacional da CNI aconteceu no Rio Grande do Norte na última quarta-feira (11), no auditório da Fiern (Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

UFRN: Professora Selma Jerônimo recebe prêmio da Universidade de Iowa nos Estados Unidos

Trabalho de pesquisas desenvolvido pela professora Selma Jerônimo, da  Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) na área de saúde pública, foi contemplado com o prêmio internacional Impact Award, concedido pela Universidade de Iowa, dos Estados Unidos. O prêmio é destinado à profissionais ou às instituições que colaboram com a Universidade de Iowa na construção de conhecimentos voltados para programas sociais que melhorem a vida das pessoas. Professora Selma Jerônimo A pesquisadora Selma Jerônimo, diretora do Instituto de Medicina Tropical da UFRN, é parceira da Universidade de Iowa desde o ano de 1996. Ela lembra a importância que está tendo o conhecimento gerado no próprio Instituto, na Escola Maternidade Januário Cicco, no Centro de Biologia da UFRN e no Departamento de Infectologia do Hospital Gizelda Trigueiro, para melhorar a vida das pessoas no Rio Grande do Norte. “A contribuição diária do IMT, MJEC, CB e do Departamento de Infectologia do HGT quebra o cic

Moacir de Lucena: o semeador de escolas

Moacir de Lucena e família em solenidade da UFRN (outubro de 2003) Matéria publicada na edição de novembro da Revista Foco English version Professor, tipógrafo, juiz, advogado, músico, jornaleiro, poeta, normalista, chefe escoteiro, esportista, animador cultural, educador itinerante.  Em sua trajetória de 100 anos de vida pelo Rio Grande do Norte, o oestano filho de Martins, Moacir de Lucena, procurou ser, acima de tudo, um servidor na luta pelo progresso social das pessoas. Desde cedo entendeu que esse progresso social só chegaria pela via da Educação.  Neste campo, de forma inovadora criou um método próprio de alfabetização com resultados concretos junto aos estudantes. Método que depois foi empregado com estardalhaço por Paulo Freire. Mas, Moacir de Lucena chegou antes, sem estardalhaço, sem propaganda, mas com a luminosidade das coisas feitas e da transformação extraordinária do analfabeto em alfabetizado. Entre as tentativas de definir Moacir de Lucena, seu filho L

7º SEL: UFRN prepara grande evento de Educação e Leitura para novembro

Reunião com a reitora sobre o 7º  SEL Matéria atualizada às 12h30 desta quinta-feira (2) Estão adiantados os preparativos para o 7º Seminário Educação e Leitura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), um dos maiores eventos no gênero no país. O 7º Seminário Educação e Leitura (SEL) acontece de 11 a 14 de novembro no Centro de Convenções do Praiamar Natal Hotel, em Ponta Negra, e deverá reunir mais de 1.000 participantes de todas as regiões do Rio Grande do Norte e de várias partes do Brasil. Em reunião ocorrida na manhã desta quinta-feira (2) a reitora da UFRN, Ângela Paiva garantiu total apoio ao evento. Participaram da reunião no gabinete da reitoria, a professora Marly Amarilha, a diretora do Centro de Educação da UFRN, Márcia Gurgel, e a professora Ângela Naschold, da equipe de organização do Seminário. As inscrições estão abertas a partir desta quarta-feira (01) para ouvintes e para apresentação de trabalho ou oferta de minicurso.  Equipe do Se