sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Descuidista leva celular de jornalista em plena reunião de Segurança Pública na Governadoria do RN

É muito costumeiro se encontrar descuidistas em repartições públicas. Em alguns casos até em excesso. São pessoas de fora que frequentam um ambiente propício a malandragem, ou pessoas de dentro que se viciaram na "engenhosa" arte do descuidismo.

Até na governadoria
O que é de se estranhar é o fato de descuidistas estarem agindo, não se sabe se gente de fora ou algum malandro de dentro, na sede do Governo do RN.

O relato encaminhado a equipe do Anote RN pelo jornalista Sérgio Silva contando que teve o celular roubado, em plena Governadoria do RN, na noite da quinta-feira (10 de outubro) enquanto cobria uma reunião sobre a falta de segurança pública na cidade de Macaíba, é algo que impressiona.

O texto informativo de Sérgio Silva sobre a ação descuidista na Governadoria do RN.

Celular de jornalista some da Governadoria do RN quando fazia a cobertura de uma reunião sobre segurança

O celular do Jornalista Sérgio Silva, da cidade de Macaíba/RN, sumiu na noite desta quinta – feira (10/10), quando fazia a cobertura de uma reunião sobre segurança pública em na Governadoria do Rio Grande do Norte.

Na sala de reunião estava sendo discutidas ações para a melhoria da segurança públicapara a cidade de Macaíba – Região Metropolitana de Natal, onde estavam presentes apenas autoridades: a governadora Rosalba Ciarlini, o secretário de Estado da Segurança Pública, Aldair da Rocha, o comandante da Polícia Militar, Cel. Francisco Canindé Araújo, empresários, políticos e mais quatro companheiros de profissão, porém seu celular sumiu.

O jornalista conta que não portava um celular de última geração, todavia, ficou bastante surpreso com o fato e lamenta pelos contatos perdidos, onde vai ter que perder um turno de seu trabalho para tentar recuperar pelos menos os contatos.

“Para muitos que têm um espírito burguês da coisa, eu não estava num bairro periférico, nem ao lado de pessoas mal vestidas, próximo de negros como eu, pelo contrário, estava na Governadoria. Não era um celular de última geração, seu valor hoje custa em média R$ 300. O chato é que vou perder no mínimo, um turno de trabalho tentando recuperar os contatos. Quando a reunião começou recebi uma ligação, após o fim do encontro percebi o sumiço, tentei ligar nos dois números, mas só dava desligado”, contou 
Sérgio Silva.

Nenhum comentário:

Postar um comentário