Justiça condena governo do RN por redução indevida de salário de professora

A 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte manteve a sentença inicial que condenou o Governo do Estado por reduzir indevidamente o salário de professora aposentada.

Ainda bem que existe a Justiça
A decisão da 2ª Câmara Cível foi em resposta a uma apelação do Governo do RN que entendia como legal a decisão de reduzir os vencimentos da referida professora.

De acordo com o processo, o valor básico dos salários recebidos pela educadora corresponde à carga horária de 30 horas semanais e não 40 horas, como no ato de aposentadoria.

O Governo do RN está obrigado a reenquadrar a professora aposentada que foi prejudicada por decisão arbitrária e injusta.

Na decisão, os desembargadores consideraram ainda determinações anteriores do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), fundamentadas na Lei de Responsabilidade Fiscal, que regulamentou o artigo 169 da Constituição Federal. Eles entendem que os limites de despesas com pessoal dos entes públicos, não podem servir de fundamento para eliminar o direito dos servidores públicos de receber vantagem legitimamente assegurada por lei.

Postar um comentário

0 Comentários