quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Parnamirim: Contrato com Cooperativa Médica para resolver escala de cirurgiões no Hospital Deoclécio Marques

Novo contrato foi assinado na segunda-feira (14) pela Secretaria de Saúde Pública do RN com a Cooperativa Médica visando resolver o problema de escola de plantão dos médicos cirurgiões do Hospital Deoclécio Marques, em Parnamirim.

Hospital Deoclécio Marques
O Contrato passou a vigorar a partir das 19h da terça-feira (15) e prosseguirá até o dia 31 deste mês. Caso não fosse feito, a escala ficaria ameaçada já que a equipe dos médicos do próprio hospital atingiu o limite de plantões. A informação é da própria Secretaria de Saúde Pública do RN.

Os termos contratuais firmados com a Cooperativa Médica garantem a permanência de cirurgiões em 80 plantões de 12h pelo valor individual de R$ 1.940, totalizando R$ 160 mil. Atualmente, o atendimento normal na porta de entrada conta com três médicos cirurgiões. 

A diretora administrativa do hospital, Adriana Pontes, reforça que a contratação da Cooperativa Médica foi necessária porque os médicos do hospital ficaram sobrecarregados, devido ao pedido de exoneração de quatro médicos cirurgiões, após a implantação do ponto eletrônico.

A afirmação corajosa da diretora do hospital evidencia o erro estratégico de desdobramentos lamentáveis para a população que necessita de atendimento médico. A utilização do ponto eletrônico como ferramenta para emparedar os médicos, findou não resultando em avanços práticos, e desagradou a profissionais qualificados que preferiram deixar os quadros do governo e irem para o mercado privado.

É a tal da história em que não existe lugar para herói, é vilão no atacado e no varejo. Resta saber de quem foi a "brilhante" ideia de emparedar os médicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário