quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Macau: Governo do RN apela para professores e estudantes irem as ruas buscarem novos alunos para as escolas estaduais

Escola Duque de Caxias busca alunos
A real situação da Educação pública estadual, que vem agonizando a vários anos, está levando o Governo do RN a convocar a comunidade escolar a buscar novos alunos nas ruas de Macau.

A rede estadual de Educação, já faz algum tempo, deixou de ser opção considerada pelas famílias das grandes cidades do Rio Grande do Norte.

Deixou de ser opção porque não oferece ensino de qualidade, não tem organização, não tem professores estimulados, não faz capacitação profissional com seus educadores, não cuida de sua estrutura física.

O tempo e o distanciamento da qualidade que realmente interessa, a de sala de aula, se encarregaram de tirar qualquer resquício de credibilidade que ainda existia junto à comunidade.

A notícia divulgada pelo Governo do RN, na quarta-feira (27), de que a Secretaria da Educação vai manter em funcionamento a  Escola Estadual Donana Avelino e a Escola Estadual Duque de Caxias (que estava com dias contados) deveria ser tomada como uma informação de rotina.

Mas, não é. Ela vem acompanhada de um apelo da própria Secretaria de Educação do RN.

"Devido ao número reduzido de alunos que as unidades tem apresentado nos últimos anos, a Secretaria da Educação faz uma convocação aos professores, pais e alunos das duas escolas, para que vão às ruas divulgar o período de solicitações de matrículas e convocar amigos, parentes, vizinhos e conhecidos a solicitarem as matrículas de seus filhos para a Duque de Caxias e a Donana Avelino", apela a Secretaria da Educação do RN.

A campanha será conduzida, continua o texto oficial, pela diretora da 6ª Dired (Diretoria Regional de Educação), Izaura Passos. O desafio é aumentar o número de matriculados para que as turmas atinjam o número mínimo de estudantes.

Desafio bastante difícil. Difícil porque a comunidade não considera como opção estudar em escola estadual. Difícil porque em Macau já existe um IFRN grande, forte, com ensino de qualidade, e oferecendo educação profissional.
Difícil porque Macau conta também com escolas particulares bem acreditadas junto à população.

Chega-se a um ponto absurdamente inusitado. As escolas estaduais estão pedindo para as pessoas estudarem nelas, gratuitamente, e ninguém está querendo. As pessoas estão considerando que o barato, no caso, o gratuito, pode sair no final muito caro. Pode significar no final a efetiva perda de um ano na aquisição de conhecimentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário