segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Secretaria de Saúde do RN faz treinamento com médicos cubanos que irão atuar no Estado

Capacitação para médicos cubanos
O Rio Grande do Norte começa a conviver com os médicos cubanos e de outros países que estão sendo importados para resolver problemas de subdesenvolvimento no Brasil.

A Secretaria de Saúde do RN concluiu na manhã da sexta-feira (1º) uma espécie de curso de capacitação com atividades de acolhimento, informação e integração para 17 médicos estrangeiros.

O curso preparatório, dado pela Secretaria de Saúde do RN, ocorreu no Hotel Praiamar, em Ponta Negra, Natal, no período de 29 de outubro a 1º deste mês.

Os 17 médicos estrangeiros irão atuar em Natal (12), Nova Cruz (02), Touros (01), Venha Ver (01) e Ceará Mirim (01).

A previsão da Secretaria de Saúde do RN é que os 17 médicos comecem a atuar em seus respectivos municípios nesta segunda-feira (4). 

Vale dizer que os médicos estrangeiros passaram por um curso de capacitação anterior com duração de 15 dias na cidade de Fortaleza. Nesse curso de capacitação os médicos estrangeiros aprenderam sobre a cultura local, o método de trabalho empregado na Saúde da região, e sobre o funcionamento de equipamentos de ponta que ainda desconheciam.

Esse agrupamento de novos médicos é acrescentado por 07 profissionais brasileiros que são dispensados do curso preparatório.

Os 07 médicos brasileiros já estão atuando nos municípios de Touros, Tenente Laurentino Cruz, Ielmo Marinho, Upanema, Viçosa, Boa Saúde e Rio do Fogo.

Esse contingente de médicos estrangeiros se soma ao agrupamento de 32 que chegou na primeira etapa do programa ao Rio Grande do Norte. Os 32 médicos da primeira leva já estão atuando nos municípios de Alexandria, Bom Jesus, Caraúbas, Extremoz, Ielmo Marinho, Lagoa de Pedras, Macaíba, Monte Alegre, Natal, Olho d’Agua do Borges, Porto do Mangue, Riacho da Cruz, Serra Caiada, Touros, Ceará Mirim, São Miguel do Gostoso, São Tomé, São Miguel e Riacho de Santana.

A importação controversa de médicos, como produto de manufatura, faz parte do programa federal "Mais Médicos". Repercute satisfatoriamente entre as camadas mais necessitadas da população e que moram em áreas periféricas dos grandes conglomerados urbanos e em pequenos municípios do interior.

A repercussão positiva se deve ao fato do "Mais Médicos", nome interessante dado a importação de médicos cubanos, expor o nível de subdesenvolvimento brasileiro e a grande incapacidade do sistema universitário público garantir profissionais qualificados para as áreas mais humildes do país e, consequentemente, do Rio Grande do Norte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário