quinta-feira, 20 de março de 2014

Ufersa: Estudantes de escolas públicas do RN expõem projetos em Feira de Ciências em São Paulo

Estudantes do RN na Febrace
Texto feito a partir de divulgação da Ufersa

Estudantes e professores de escolas públicas do Rio Grande do Norte estão defendendo oito projetos de iniciação científica na 12ª Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), que acontece até esta quinta-feira (20) na USP, em São Paulo.

A mostra, considerada a maior do gênero no Brasil, foi iniciada na terça-feira (18) dentro das dependências da POLI – Escola Politécnica da USP, com o comparecimento de aproximadamente 12 mil visitantes.

No total, serão apresentados 331 projetos, selecionados entre mais de 1.800 trabalhos inscritos por alunos, de todos os estados brasileiros.

Do Rio Grande do Norte participam 22 estudantes e nove professores orientadores. As equipes representam escolas dos municípios de Antônio Martins, Apodi, Mossoró, Paraú, Tibau e Umarizal.

Representam a pesquisa científica em escolas públicas do Rio Grande do Norte, os projetos "O reaproveitamento do óleo de cozinha para a fabricação do sabão", "Avaliação do potencial eólico do município de Apodi", "Uso da casca de castanha como fonte de energia para indústria de cerâmicas no município de Apodi".

"Caracterização e estudo da estabilidade oxidativa do biodiesel de sebo bovino em diferentes condições de armazenamento", "Dispositivo de segurança por sensoriamento em ultrapassagem", "Real-brasileirismo: uma proposta para mudança de atitude", "Tibau rumo à sustentabilidade, através da cultura do coco", e "Uso da naturopatia no tratamento de ferimentos cutâneos".

Os projetos foram selecionados em eventos ocorridos no ano de 2013. Os trabalhos foram selecionados, num primeiro momento, durante as feiras de ciências locais e depois na 3ª. Feira de Ciências, realizada em Mossoró.

A 3ª. Feira de Ciências contou com a participação de estudantes de 45 municípios da região do semiárido potiguar, num total de 193 trabalhos, de 70 escolas. Os projetos foram avaliados por professores mestres e doutores, nas mais diversas áreas do conhecimento.

De acordo com o professor da Ufersa e coordenador do Ciência para Todos no Semiárido Potiguar, Felipe de Azevedo Silva Ribeiro, durante a seleção estadual, os projetos foram submetidos a rigorosos critérios de avaliação, desde o uso do método científico, criatividade e relevância, clareza e objetividade na exposição do projeto e profundidade da pesquisa. “Quando forem avaliados na Febrace, os mesmos critérios serão observados pela comissão julgadora, com igual peso para os trabalhos das quatro regiões do País”, acrescentou Felipe de Azevedo.

O projeto Ciência para Todos no Semiárido Potiguar, responsável direto pelo incremento da iniciação científica em dezenas de escolas públicas do Rio Grande do Norte, é desenvolvido pela Universidade Federal Rural do Semi-Árido e contempla também a capacitação de professores que atuam na Educação Básica para o trabalho que envolve a pesquisa científica.

A Febrace oferece um total aproximado de 200 prêmios, para os melhores trabalhos, divididos entre troféus, medalhas, bolsas e estágios. Na ocasião, os estudantes concorrerão a uma das nove vagas para representar o Brasil na Feira Internacional de Ciências e Engenharia da Intel (INTEL ISEF), que acontecerá de 11 a 16 de maio próximo, em Los Angeles (EUA).

Nenhum comentário:

Postar um comentário