quinta-feira, 3 de abril de 2014

Justiça Desportiva julga demandas da Copa Garoto Bom de Bola e garante continuidade da tabela

Sessão da Justiça Desportiva
Em reunião no início da tarde desta quinta-feira (03), a Comissão Disciplinar da Justiça Desportiva e sua Câmara Disciplinar trataram das demandas da Copa Garoto Bom de Bola, evento promovido e organizado pela Secretaria do Esporte e do Lazer do RN (SEEL-RN).

Inicialmente, em sessão conjunta, ocorrida na sala do Tribunal de Justiça Desportiva, no prédio sede da (SEEL-RN), foram realizadas as eleições para presidente e vice-presidente da Comissão Disciplinar e da Câmara Disciplinar. Foi eleito para a presidência da Comissão Disciplinar Desportiva, órgão de 2ª instância, o advogado Adriano Rufino Souza da Silva.

Para a presidência da Câmara Disciplinar, órgão de 1ª instância, foi eleito o advogado Robson Saldanha, e para a vice-presidência o advogado Jean Letelier Ribeiro.

Com o início dos julgamentos, a Câmara Disciplinar apreciou um processo disciplinar tendo como denunciado o técnico da Seleção de Ielmo Marinho, Jociclécio Ezequiel da Silva, por agredir moralmente e fisicamente o árbitro da partida. Jociclézio Ezequiel foi penalizado com 09 meses de suspensão.

Nesse mesmo processo aconteceu o julgamento de uma queixa contra a seleção de São Gonçalo do Amarante por não cumprimento de obrigações atribuídas as cidades com mando de campo, como a falta de segurança, etc. A seleção de São Gonçalo do Amarante recebeu da corte uma censura escrita.

Já na Comissão Disciplinar, foram julgados quatro processos especiais originários de queixas em virtude de mandantes de campo ou cidades sedes não terem cumprido as formalidades previstas no regulamento da competição e do seu caderno de encargos. Nessas situações, houve o entendimento da Corte em penalizar as partes querelantes com a pena de censura escrita. Já a seleção de São Francisco do Oeste foi penalizada com a exclusão da competição por W O desmotivado.

Dois processos foram motivados pela inclusão de atletas com idades abaixo do admitido no regulamento da Copa Garoto Bom de Bola. Por unanimidade, a Corte resolveu pelos arquivamentos por inépcia de denúncias, encaminhando os autos para a para a Procuradoria. Assim está forma está mantido o resultado da partida motivo das queixas, até que Procuradoria se manifeste.

A Comissão Disciplinar julgou também queixa impetrada pela Seleção de Pureza contra a Seleção de Taipu por utilização de 07 atletas com idade acima do estabelecido no regulamento da competição. A Comissão aplicou a penalidade de exclusão do evento para a seleção infratora e reverteu os pontos para a Seleção de Pureza.

Para o secretário do Esporte e do Lazer do RN, Joacy Bastos, que acompanhou parte da sessão conjunta, a competente atuação da Justiça Desportiva reforça o sentido democrático e transparente que vem sendo implementado nos eventos organizados e promovidos por sua pasta como é o caso da Copa Garoto Bom de Bola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário