terça-feira, 17 de junho de 2014

ENEM causa ciumeira nos conservadores da Educação

Por Tadeu Oliveira

As instituições de ensino superior no país, como a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Ufersa e IFRN, custaram a ver a ficha cair quanto à importância do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como seleção de acesso ao ensino superior, aliás, como única.

Desde seu começo, na gestão do ministro da Educação Paulo Renato de Souza, no governo de Fernando Henrique Cardoso, o Enem tem demonstrado eficiência e qualificação para sua existência, apesar das bordoadas contrárias das categorias conservadoras e atrasadas que ainda teimam em provocar o debate sobre antigas formas de vestibulares.

Posso afirmar que o Enem socializou o acesso ao ensino superior, dando igualdade de condições para filhos de ricos e pobres, todas as classes sociais. Fato que causa ciumeira das elites.

O Enem não tem mais volta, sepultou de vez a velha prática de vestibular. Segue na contramão da história quem pensa ou planeja ao contrário.

Neste ano mais de 8 milhões e 200 mil candidatos se inscreveram no exame, demonstrando que sua adesão tem movimentado jovens e adultos procurando cursar uma universidade. Acreditar, respeitar e aplaudir o processo do Enem é querer mais educação para o povo brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário