terça-feira, 17 de junho de 2014

Natal e região metropolitana podem ser decisivas nas eleições majoritárias do RN

Repórter Anote

Dizer que Natal e região metropolitana são decisivas em uma eleição majoritária no Rio Grande do Norte é chover no molhado. Os números da pesquisa 96 FM/Consult, divulgados na segunda-feira (16) para o pleito majoritário do Estado este ano apontam, mais uma vez, para uma decisão que virá de Natal e de sua região metropolitana.

Em 58 municípios pesquisados, de todas as regiões do Estado, o pré-candidato do PMDB ao governo do RN, deputado Henrique Alves, tem 38,24% das intenções de voto. Seu principal oponente, vice-governador Robinson Faria, do PSD, tem 22,88% de preferência. Robério Paulino, do PSOL, tem 0,88%, Simune Dutra, do PSTU, tem 0,82%, e Araken Farias, do PSL, alcançou 0,24% das intenções de voto.


Wilma: desempenho em Natal preocupa
O melhor desempenho de Henrique Alves é na região Central/Potengi, que abrange municípios como Lajes, Angicos, Pedro Avelino, Barcelona e São Paulo do Potengi, onde alcança 61,1%. Seu pior desempenho é na região Litoral/Agreste, que abrange municípios como Canguaretama, Baía Formosa, São José de Mipibu, Goianinha, Nova Cruz e Santo Antônio do Salto da Onça, onde fica com 30,2%.

É exatamente na região Agreste onde Robinson Faria tem seu melhor desempenho e fica à frente de Henrique Alves, alcançando 41%. O pior desempenho de Robinson é na região Central/Potengi, onde chega apenas aos 8,9%.

Os dados para o Senado Federal traz percentuais que merecem a atenção maior para uma análise da pesquisa. Wilma de Faria, (PSB), tem a preferência de 40,35% dos entrevistados, enquanto a deputada Fátima Bezerra, PT, fica na casa do 27,4%.  A professora Ana Célia, do PSTU, chega a 1,06%, Roberto Ronconi, do PSDC, tem 0,76% das intenções de votos. 

O melhor desempenho de Wilma de Faria é na região Oeste, onde ela alcança 56,4%. Seu pior desempenho é em Natal, ficando com 30%.

É exatamente em Natal o melhor desempenho de Fátima Bezerra, com 33,5% das intenções de voto. Seu pior desempenho é na região Oeste, onde fica com apenas 21,1%.

Esses dados indicam a possibilidade de Natal ser o fator definidor das eleições deste ano. O desempenho da vice-prefeita Wilma de Faria na cidade que conhece como a palma de sua mão, pode ser visto como insuficiente. E é exatamente nesse território que se dará a grande disputa.

A força da coligação liderada por Henrique Alves e Wilma de Faria, reunindo cerca de 20 partidos, e maioria dos deputados, prefeitos, vices, e vereadores, pode ser colocada em cheque exatamente na capital do Estado e municípios vizinhos.

As vantagens de Henrique e de Wilma poderiam ser vistas como confortáveis, mas o fator Natal acende a luz amarela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário