Pular para o conteúdo principal

RN na vice-lanterna do IDEB: secretária de Educação fala de frustração

Em texto oficial, a secretária de Educação do RN dá a sua versão sobre o resultado do IDEB colocando o Estado numa "acirrada" disputa com Alagoas para ver quem segura a lanterna como pior educação do Brasil. 

Este ano o Rio Grande do Norte conseguiu a "façanha" de cair 0,1 (um décimo) com relação ao pífio resultado anterior - passando de 2,8 em 2011 para 2,7 em 2013. Mesmo assim conseguiu ficar à frente de Alagoas por 0,1 (um décimo) e dessa forma se manter com certa "galhardia" como vice-lanterna.

A seguir texto oficial da Secretaria de Educação do RN.

A secretária de Estado da Educação, professora Betania Ramalho, recebeu com frustração o resultado do Indice de Desenvolvimento da Educação – Ideb, no Ensino Médio, em que o Rio Grande do Norte ficou na 24º posição do ranking nacional, empatado com Mato Grosso e o Pará. Para ela, o resultado não reflete o tamanho do esforço que a equipe da secretaria tem feito para reverter essa herança de muitos anos de descaso.

"Dobramos o salário dos professores, a gratificação dos diretores das escolas, liberams promoções e vantagens represadas, fizemos concurso e contratamos quase quatro mil professores, aumentamos o montante de recursos encaminhados diretamente para as escolas, adquirimos equipamentos tecnológicos e realizamos muitas formações para atualizar o currículo escolar. Fizemos o possível e o impossível, muitas vezes trabalhando doze horas por dia. Por esses e outros motivos, esse não era o resultado esperado", revelou a professora.

Segundo a secretária, os números do Ideb se contrapõem ao resultado de avaliações divulgadas anteriormente, como o PISA. “Os números vão de encontro ao último resultado do Programa Internacional de Avaliação da Educação – PISA, que avalia estudantes de 15 anos nas áreas de leitura, matemática e ciências e colocou o Rio Grande do Norte entre os 15 melhores do país, empatado com o Ceará. Essa mesma avaliação colocou o RN no terceiro lugar do país quando avaliados os cabeças da Matemática”.

Ao fazer uma análise sobre o que pode ter influenciado o resultado do Ideb, a subcoordenadora de Ensino Médio da SEEC, professora Aliete Bormann, ressalvou que diferentemente do que ocorre com a avaliação do Ensino Fundamental, em que todos os estudantes de 4º e 9º ano fazem as provas, quando se trata de Ensino Médio, a avaliação é amostral. “Isso significa dizer que das 290 escolas estaduais com Ensino Médio, apenas 50 tiveram seus alunos de 3º ano avaliados, o que corresponde a menos de 20% da rede.”

Aliete diz ainda que as escolas foram escolhidas aleatoriamente pelo Ministério da Educação. “Quando a secretaria recebeu a lista das escolas que seriam avaliadas, já fazíamos uma previsão de que o resultado não seria bom, pois o desempenho dessas unidades, em sua maioria, estava entre os mais baixos da rede. Por outro lado, as escolas que tradicionalmente apresentam os melhores resultados não foram avaliadas. Com isso, não buscamos justificar o resultado, mas certamente foi algo que influenciou.”

Outro ponto que deve ser analisado, além da retração no índice da rede estadual, que passou de 2.8 em 2011 para 2.7 em 2013, é a avaliação do Ensino Médio da Rede Privada do Rio Grande do Norte, que sofreu uma queda de três casas decimais. O Ideb das escolas particulares no estado passou de 5.1 em 2011 para 4.8 em 2013, refletindo o resultado geral do desempenho do país.

Para a secretária Betania Ramalho, um dos caminhos para reverter esse quadro é a flexibilização do currículo, reunindo o conteúdo por áreas de conhecimento e a utilização de ferramentas que possam tornar o ensino mais interessante ao aluno. “Já percorremos um bom trajeto nessa direção, mas esse é um trabalho cujo resultado não aparece em curto prazo, pois não é possível repor o conteúdo que um aluno de Ensino Médio perdeu durante a vida inteira em apenas três anos. Os resultados devem aparecer nas próximas avaliações, quando o crescimento registrado no Ensino Fundamental do Estado chegar ao Médio.”

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

UFRN: Professora Selma Jerônimo recebe prêmio da Universidade de Iowa nos Estados Unidos

Trabalho de pesquisas desenvolvido pela professora Selma Jerônimo, da  Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) na área de saúde pública, foi contemplado com o prêmio internacional Impact Award, concedido pela Universidade de Iowa, dos Estados Unidos. O prêmio é destinado à profissionais ou às instituições que colaboram com a Universidade de Iowa na construção de conhecimentos voltados para programas sociais que melhorem a vida das pessoas. Professora Selma Jerônimo A pesquisadora Selma Jerônimo, diretora do Instituto de Medicina Tropical da UFRN, é parceira da Universidade de Iowa desde o ano de 1996. Ela lembra a importância que está tendo o conhecimento gerado no próprio Instituto, na Escola Maternidade Januário Cicco, no Centro de Biologia da UFRN e no Departamento de Infectologia do Hospital Gizelda Trigueiro, para melhorar a vida das pessoas no Rio Grande do Norte. “A contribuição diária do IMT, MJEC, CB e do Departamento de Infectologia do HGT quebra o cic

Moacir de Lucena: o semeador de escolas

Moacir de Lucena e família em solenidade da UFRN (outubro de 2003) Matéria publicada na edição de novembro da Revista Foco English version Professor, tipógrafo, juiz, advogado, músico, jornaleiro, poeta, normalista, chefe escoteiro, esportista, animador cultural, educador itinerante.  Em sua trajetória de 100 anos de vida pelo Rio Grande do Norte, o oestano filho de Martins, Moacir de Lucena, procurou ser, acima de tudo, um servidor na luta pelo progresso social das pessoas. Desde cedo entendeu que esse progresso social só chegaria pela via da Educação.  Neste campo, de forma inovadora criou um método próprio de alfabetização com resultados concretos junto aos estudantes. Método que depois foi empregado com estardalhaço por Paulo Freire. Mas, Moacir de Lucena chegou antes, sem estardalhaço, sem propaganda, mas com a luminosidade das coisas feitas e da transformação extraordinária do analfabeto em alfabetizado. Entre as tentativas de definir Moacir de Lucena, seu filho L

7º SEL: UFRN prepara grande evento de Educação e Leitura para novembro

Reunião com a reitora sobre o 7º  SEL Matéria atualizada às 12h30 desta quinta-feira (2) Estão adiantados os preparativos para o 7º Seminário Educação e Leitura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), um dos maiores eventos no gênero no país. O 7º Seminário Educação e Leitura (SEL) acontece de 11 a 14 de novembro no Centro de Convenções do Praiamar Natal Hotel, em Ponta Negra, e deverá reunir mais de 1.000 participantes de todas as regiões do Rio Grande do Norte e de várias partes do Brasil. Em reunião ocorrida na manhã desta quinta-feira (2) a reitora da UFRN, Ângela Paiva garantiu total apoio ao evento. Participaram da reunião no gabinete da reitoria, a professora Marly Amarilha, a diretora do Centro de Educação da UFRN, Márcia Gurgel, e a professora Ângela Naschold, da equipe de organização do Seminário. As inscrições estão abertas a partir desta quarta-feira (01) para ouvintes e para apresentação de trabalho ou oferta de minicurso.  Equipe do Se