sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Caicó: Unidade da UFRN estuda as peculiaridades dos cemitérios do Seridó

Professor Lourival Andrade
O professor de História do Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres), unidade pertencente a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Lourival Andrade Júnior, está liderando estudo sobre os "Cemitérios do Seridó", com a pretensão de reconhecer a memória das cidades da região.

“Este é o meu parque de diversões”, diz o professor Lourival Andrade, enquanto circula com familiaridade entre os túmulos do Cemitério São Vicente de Paula, em Caicó. O estudo trata das características encontradas nos cemitérios, incluindo aspectos artísticos dos jazigos e histórias familiares das pessoas enterradas. “Fazemos uma análise social, uma leitura. Procuramos a sensibilidade do lugar. Este espaço é um documento vivo. Aqui eu me sinto bem. Não digo religiosamente, mas do ponto de vista da pesquisa. Me sinto melhor aqui do que em um arquivo, com aquele cheiro que me dá até rinite”, afirma o professor.

Lourival acredita que as sepulturas eternizam as pessoas, preservam memórias que uma pesquisa não encontraria em fontes consideradas convencionais pelos historiadores, como os processos criminais ou os atestados de óbito. O professor já esteve em todos os cemitérios da região, composta por 23 municípios, e guarda um banco de dados com mais de 6 mil fotos de tumbas. O que mais lhe chama atenção, é que, em todos os locais visitados, é possível perceber claramente as diferenças sociais.

“O Seridó demarca muito bem o espaço social de poder dentro do cemitério. Quem manda e quem não manda, tudo está aqui. As famílias mais poderosas têm túmulos mais suntuosos, as menos abastadas têm covas rasas, simples, mais baratas”, analisa.

Lourival acredita que o cemitério é a representação da cidade: dos seus poderes, da sua cultura, da sua sociedade e da sua economia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário