quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Dinheiro curto: UFRN revê prioridades para não prejudicar andamento da instituição

Reitoria busca revê gastos
O arrocho definido pelo Governo Federal no corte de verbas para a Educação começa a se fazer sentir na escassez de recursos para o andamento das ações da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) 

A instituição está tratando agora de rever suas prioridades para revê prioridades para não prejudicar suas ações e seu andamento cotidiano.

Apesar da restrição orçamentária impostas às universidades federais, o informe de sua assessoria de comunicação diz que a UFRN continua cumprindo os compromissos assumidos, como obras contratadas e demais contratos de serviços, como luz e água. “No momento seguimos trabalhando dentro da normalidade”, adiantou a reitora Ângela Maria Paiva Cruz na tarde da segunda-feira (23).

A orientação da reitora, diante da pendência da aprovação do orçamento 2015, é que “em vez de se fazer um corte linear, a administração central reveja, junto com dirigentes de unidades acadêmicas (os centros acadêmicos), suplementares e descentralizadas o que está planejado, estabelecendo as ações prioritárias, de forma que o desenvolvimento institucional não seja afetado”.

Ângela Paiva lembrou que a Lei de Diretrizes Orçamentária (LDO) ainda não foi aprovada pelo Congresso, mas o MEC já recebeu um crédito extraordinário de 74 bilhões para investimento em obras, e que a UFRN também obteve cerca de 30% do valor solicitado para custeio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário