Pular para o conteúdo principal

Ufersa: Conselho universitário aprova voto igualitário para escolha de reitor

Reunião histórica muda peso do voto na Ufersa
Acaba-se a história de dois pesos e duas medidas para a escolha de reitor em uma das universidades federais sediadas no Rio Grande do Norte. Numa reunião histórica, o Conselho universitário da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa) aprovou em reunião na tarde da quarta-feira (11), o voto paritário para consulta prévia para a eleição de reitor e vice-reitor. 

A aprovação, por 9 x 4, aconteceu após acirrada discussão entre os que defendiam o avanço para uma escolha democrática e os que reacionavam em defesa da conservação de diferentes categorias de eleitores no contexto universitário. calorosa discussão durante toda a manha Três conselheiros se abstiveram do voto. 

“A reunião de hoje representou mais um avanço para universidade que trata de forma mais democrática possível, a consulta a comunidade universitária para a indicação de reitor e vice-reitor”, afirmou o professor José de Arimatea de Matos, reitor da Ufersa.

Numa disputada ainda mais acirrada pela manhã da quarta (11) foi mantida a proposta de no mínimo três anos de vínculo com a instituição para o candidato ao cargo de reitor. Alguns conselheiros sugeriram aumentar o prazo para 10 anos, mas a proposta foi rejeitada por 10 x 09. Com a paridade, já na próxima eleição, prevista para 2016, o voto dos professores, servidores técnicos administrativos e estudantes passam a ter o mesmo peso, ou seja, 33,3%. Antes, voto dos professores equivaleria a 70% e os outros 30%, divididos entre os servidores (15%) e os estudantes (A reunião história aconteceu no campus da Ufersa em Mossoró. Com a decisão do Conselho universitário, a Ufersa passa a ser a 38ª, entre as 57 universidades federais do país, a adotar o voto paritário para eleição de reitor. Os Institutos Federais também já aderiram peso igual entre os três segmentos.

Para o representante do DCE (Diretório Central de Estudantes), o aluno de agronomia, Igor Mendonça, a aprovação do voto paritário representa a democratização dos espaços universitários. “Se não há um peso igual para todos os segmentos, deparamos com uma desproporcionalidade, a paridade não se trata de uma disputa de categorias, mas um avanço para a democratização da universidade”, concluiu o representante do DCE.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

UFRN: Professora Selma Jerônimo recebe prêmio da Universidade de Iowa nos Estados Unidos

Trabalho de pesquisas desenvolvido pela professora Selma Jerônimo, da  Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) na área de saúde pública, foi contemplado com o prêmio internacional Impact Award, concedido pela Universidade de Iowa, dos Estados Unidos. O prêmio é destinado à profissionais ou às instituições que colaboram com a Universidade de Iowa na construção de conhecimentos voltados para programas sociais que melhorem a vida das pessoas. Professora Selma Jerônimo A pesquisadora Selma Jerônimo, diretora do Instituto de Medicina Tropical da UFRN, é parceira da Universidade de Iowa desde o ano de 1996. Ela lembra a importância que está tendo o conhecimento gerado no próprio Instituto, na Escola Maternidade Januário Cicco, no Centro de Biologia da UFRN e no Departamento de Infectologia do Hospital Gizelda Trigueiro, para melhorar a vida das pessoas no Rio Grande do Norte. “A contribuição diária do IMT, MJEC, CB e do Departamento de Infectologia do HGT quebra o cic

Moacir de Lucena: o semeador de escolas

Moacir de Lucena e família em solenidade da UFRN (outubro de 2003) Matéria publicada na edição de novembro da Revista Foco English version Professor, tipógrafo, juiz, advogado, músico, jornaleiro, poeta, normalista, chefe escoteiro, esportista, animador cultural, educador itinerante.  Em sua trajetória de 100 anos de vida pelo Rio Grande do Norte, o oestano filho de Martins, Moacir de Lucena, procurou ser, acima de tudo, um servidor na luta pelo progresso social das pessoas. Desde cedo entendeu que esse progresso social só chegaria pela via da Educação.  Neste campo, de forma inovadora criou um método próprio de alfabetização com resultados concretos junto aos estudantes. Método que depois foi empregado com estardalhaço por Paulo Freire. Mas, Moacir de Lucena chegou antes, sem estardalhaço, sem propaganda, mas com a luminosidade das coisas feitas e da transformação extraordinária do analfabeto em alfabetizado. Entre as tentativas de definir Moacir de Lucena, seu filho L

7º SEL: UFRN prepara grande evento de Educação e Leitura para novembro

Reunião com a reitora sobre o 7º  SEL Matéria atualizada às 12h30 desta quinta-feira (2) Estão adiantados os preparativos para o 7º Seminário Educação e Leitura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), um dos maiores eventos no gênero no país. O 7º Seminário Educação e Leitura (SEL) acontece de 11 a 14 de novembro no Centro de Convenções do Praiamar Natal Hotel, em Ponta Negra, e deverá reunir mais de 1.000 participantes de todas as regiões do Rio Grande do Norte e de várias partes do Brasil. Em reunião ocorrida na manhã desta quinta-feira (2) a reitora da UFRN, Ângela Paiva garantiu total apoio ao evento. Participaram da reunião no gabinete da reitoria, a professora Marly Amarilha, a diretora do Centro de Educação da UFRN, Márcia Gurgel, e a professora Ângela Naschold, da equipe de organização do Seminário. As inscrições estão abertas a partir desta quarta-feira (01) para ouvintes e para apresentação de trabalho ou oferta de minicurso.  Equipe do Se