Pular para o conteúdo principal

São José de Mipibu: Alunos de escola estadual aprendem com produção em horta didática

Horta escolar com protagonismo dos alunos
(Fotos: Danilo Bezerra)
Por Jorge Ivan Barbosa/Danilo Bezerra

A Educação que abre horizontes e que se estende proporcionando ações de protagonismo e experiências que servirão para toda uma vida. A rede pública de ensino tem exemplos concretos de avanços na educação que possibilita a união do protagonismo que faz ao saber adquirido pela via da educação.

A Escola Estadual Rafael Garcia, localizada no Bairro Novo, no município de São José de Mipibu, pode ser vista como uma demonstração efetiva de abertura de horizontes para crianças e jovens pela via de um conhecimento de saber prático que se materializa na integração com a natureza. Ela possui uma colheita agrícola regular para a produção de alimentos para o consumo dos seus alunos. É uma realidade que diariamente se reafirma no ambiente escolar que envolve professores, estudantes, pais de alunos e moradores da comunidade.

A colheita vem de uma horta de caráter didático plantada no terreno próprio da Escola medindo aproximadamente 200 metros quadrados. Nela, dois agricultores ensinam os alunos a utilizarem os instrumentos de plantio como pás, enxadas e adubos orgânicos para fertilização do solo, e depois mostram como se faz o plantio das verduras e hortaliças.

Os gêneros alimentícios provenientes da horta são utilizados na confecção da merenda escolar. Beterraba, couve-flor, coentro, mandioca, batata doce, abóbora, tomate, feijão verde, macaxeira, maracujá, cenoura, banana da terra e pepino, são plantados na horta escolar e , posteriormente colhidos, e servidos aos alunos matriculados regularmente na escola.

A diretora da escola, Geane D’arc Freire da Silva, mostra que a produção, que tem caráter didático, tem ajudado significativamente na economia no momento de compra dos produtos usados na merenda dos alunos. “A economia chega em torno de 20% no valor que é gasto na compra dos ingredientes da merenda”, declarou a diretora.

O saber da agricultura reforça didática
Dois agricultores e uma professora que atua na Rede Estadual de Ensino por meio do Mais Educação, programa do Governo Federal, são os responsáveis pelas aulas teóricas e práticas dos estudantes sobre a agricultura familiar. As aulas são ministradas duas vezes na semana e os agricultores preparam a terra para o plantio. O projeto da colheita teve início no ano de 2014.



Ianka Souza, estudante de pedagogia, é a professora responsável pela oficina de agricultura. Filha de agricultores, ela conviveu desde cedo com a vida na roça e por meio do Mais Educação ensina aos seus alunos tudo aquilo que aprendeu quando criança. “A horta é o espaço onde muitos dos estudantes podem aprender a lidar com algo que é produtivo e acessível para eles. Muitos conhecimentos são levados para casa e aplicados em hortas familiares”, disse a professora.

Segundo o agricultor e orientador do projeto de colheita, José Barbosa da Silva, 60 anos, os alunos ficam contentes em participarem da colheita da horta. Ele cita o exemplo, da alegria permanente dos alunos Raul Inácio de Lima e Arthur Gomes Soares ao participarem da retirada de um pé de macaxeira da plantação: “É a parte final de todo um caminho, que vai de arrumar o solo à colheita”.

A escola Rafael Garcia possui uma clientela de 270 alunos matriculados do terceiro ao nono ano do ensino fundamental e outros 120 estudantes no ensino médio no anexo que funciona no CAIC Hilton Gurgel localizado em São José de Mipibu.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

UFRN: Professora Selma Jerônimo recebe prêmio da Universidade de Iowa nos Estados Unidos

Trabalho de pesquisas desenvolvido pela professora Selma Jerônimo, da  Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) na área de saúde pública, foi contemplado com o prêmio internacional Impact Award, concedido pela Universidade de Iowa, dos Estados Unidos. O prêmio é destinado à profissionais ou às instituições que colaboram com a Universidade de Iowa na construção de conhecimentos voltados para programas sociais que melhorem a vida das pessoas. Professora Selma Jerônimo A pesquisadora Selma Jerônimo, diretora do Instituto de Medicina Tropical da UFRN, é parceira da Universidade de Iowa desde o ano de 1996. Ela lembra a importância que está tendo o conhecimento gerado no próprio Instituto, na Escola Maternidade Januário Cicco, no Centro de Biologia da UFRN e no Departamento de Infectologia do Hospital Gizelda Trigueiro, para melhorar a vida das pessoas no Rio Grande do Norte. “A contribuição diária do IMT, MJEC, CB e do Departamento de Infectologia do HGT quebra o cic

Moacir de Lucena: o semeador de escolas

Moacir de Lucena e família em solenidade da UFRN (outubro de 2003) Matéria publicada na edição de novembro da Revista Foco English version Professor, tipógrafo, juiz, advogado, músico, jornaleiro, poeta, normalista, chefe escoteiro, esportista, animador cultural, educador itinerante.  Em sua trajetória de 100 anos de vida pelo Rio Grande do Norte, o oestano filho de Martins, Moacir de Lucena, procurou ser, acima de tudo, um servidor na luta pelo progresso social das pessoas. Desde cedo entendeu que esse progresso social só chegaria pela via da Educação.  Neste campo, de forma inovadora criou um método próprio de alfabetização com resultados concretos junto aos estudantes. Método que depois foi empregado com estardalhaço por Paulo Freire. Mas, Moacir de Lucena chegou antes, sem estardalhaço, sem propaganda, mas com a luminosidade das coisas feitas e da transformação extraordinária do analfabeto em alfabetizado. Entre as tentativas de definir Moacir de Lucena, seu filho L

7º SEL: UFRN prepara grande evento de Educação e Leitura para novembro

Reunião com a reitora sobre o 7º  SEL Matéria atualizada às 12h30 desta quinta-feira (2) Estão adiantados os preparativos para o 7º Seminário Educação e Leitura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), um dos maiores eventos no gênero no país. O 7º Seminário Educação e Leitura (SEL) acontece de 11 a 14 de novembro no Centro de Convenções do Praiamar Natal Hotel, em Ponta Negra, e deverá reunir mais de 1.000 participantes de todas as regiões do Rio Grande do Norte e de várias partes do Brasil. Em reunião ocorrida na manhã desta quinta-feira (2) a reitora da UFRN, Ângela Paiva garantiu total apoio ao evento. Participaram da reunião no gabinete da reitoria, a professora Marly Amarilha, a diretora do Centro de Educação da UFRN, Márcia Gurgel, e a professora Ângela Naschold, da equipe de organização do Seminário. As inscrições estão abertas a partir desta quarta-feira (01) para ouvintes e para apresentação de trabalho ou oferta de minicurso.  Equipe do Se