sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Acre "inova" na Educação com disciplina sobre politicagem e conscientização contra a corrupção

O Acre deverá ter uma novidade em sua educação em 2016. Irá estrear uma nova disciplina no ensino fundamental e de nível médio, que tratará da corrupção na política. A disciplina que chega às escolas públicas e privadas, por ordem de lei votada e aprovada por sua assembleia legislativa, se chamará "Política, politicagem e conscientização contra a corrupção". É de autoria do deputado Jairo Carvalho e foi sancionada pelo governador Tião Viana.

A medida abraçada pelas autoridades do Acre é mais uma que se soma ao que vem definindo a educação brasileira nas últimas décadas, a corrida para o modismo e para os clichês. Se a situação indica a necessidade de uma sociedade vigilante aos malefícios da corrupção, lá vai à educação, casuisticamente, junta, com o seu factóide.

Nem o mais otimista dos legisladores do Acre irá esperar que uma nova disciplina, mais uma, no ensino básico, venha a influenciar decisivamente no combate à corrupção que se alastra pelo país. Trata-se de uma inventiva que pode ser vista, apenas de início, com simpatia pela população.

Por outro lado, a abordagem de assuntos como política, politicagem, e combate à corrupção, pode, e deve, ser desenvolvida pelas disciplinas já vigentes no ensino médio e presentes na academia e na história do conhecimento ocidental – a Filosofia e a Sociologia.

Na Filosofia, o estudante tem acesso ao estudo da ética na sociedade e na política. Na Sociologia, tem acesso à discussão e ao estudo de como essa ética é aplicada na vida prática de cada um e da sociedade. Se isso não está acontecendo, é um problema da própria educação que fez a escolha por uma burocratização que consegue engessar até mesmo disciplinas como Sociologia e Filosofia, e torná-las à margem do que acontece na sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário