quarta-feira, 28 de junho de 2017

Fundação Telefônica e Educação do RN têm parceria no projeto Inova Escola

Inova Escola capacita professores no RN
O projeto Inova Escola, feito pela parceria da Secretaria da Educação do RN com a Fundação Telefônica Vivo, está realizando formação continuada para educadores e gestores em todas as regiões do Estado. Nesta segunda-feira (26) e na terça (27) acontece a Formação Continuada no módulo introdutório para gestores e educadores de escolas jurisdicionadas a 2ª Diretoria Regional de Educação e Cultura (2ª Direc), compreendendo municípios da Região Metropolitana e do Agreste. A Formação ocorre no auditório da Escola Estadual Presidente Roosevelt, em Parnamirim. Os participantes do evento estão sendo capacitados para atuarem como multiplicadores em suas escolas.

O projeto Inova Escola é uma iniciativa que visa promover formação de educadores, de forma on-line e presencial, e plataformas de melhorias na gestão escolar. O projeto leva aos municípios conteúdos sobre novas formas de aprendizagem e uso de recursos tecnológicos como aliados nesse processo.

O Inova Escola trabalha seis eixos dentro da perspectiva de estimular o desenvolvimento de projetos e práticas de inovação educativa no ambiente escolar com reflexos na sociedade: personalização; projeto de vida; papel do professor; recursos tecnológicos; espaços diferenciados; e gestão inovadora. “A receptividade está sendo muito boa e temos observado a grande participação de educadores de todas as regiões. Os professores são ávidos para aprender e mesmo estando em período de recesso, participam da formação mostrando comprometimento com a Educação”, afirma o professor João Maria de Lima, coordenador da formação.

“O projeto está utilizando uma metodologia interessante que motiva o pessoal a interagir. As escolas estão precisando muito de motivação. Esses momentos de formação são ricos e contribuem também para animar os educadores”, afirma a pedagoga Edjane Pinheiro, participante da formação na Escola Estadual Presidente Roosevelt.

No total, 199 escolas do Estado serão contempladas pelo Inova Escola. Entre elas, escolas de ensino fundamental – incluindo as que têm ensino em tempo integral -, ensino médio e algumas com Educação de Jovens e Adultos (EJA). De acordo com a coordenadora dos Órgãos Regionais de Educação, Rosângela de Oliveira, o Inova Escola está formando 920 pessoas, entre gestores, coordenadores pedagógicos, professores e funcionários do Conselho Escolar.

DIRECS

A formação promovida pela SEEC em parceria com a Telefônica Vivo já chegou a escolas de 11 Direcs reunindo educadores de várias regiões do Estado nos municípios de Umarizal, Pau dos Ferros, Apodi, Mossoró, Assu, Caicó, Currais Novos, Natal e Parnamirim. As atividades nas demais Direcs acontecerão a partir do dia 11 de julho, ao término do recesso escolar. A parceria também é destinada às escolas da rede municipal de ensino. O processo nos municípios está em fase de inscrições e deve ser iniciada no próximo semestre.

METODOLOGIA
Os conteúdos são desenvolvidos a partir de uma estrutura de oficinas presenciais que permitem aos participantes a compreensão dos temas como repensar o papel do professor; gestão inovadora, tendo em vista que os profissionais da escola não são os únicos responsáveis pela aprendizagem dos jovens.

Outro tema abordado pelo Inova Escola é a personalização, levando em consideração que cada estudante é único e merece a chance de traçar o próprio caminho de aprendizagem. Os espaços diferenciados também são abordados nessas oficinas, tendo em vista que sala de aula não precisa estar organizada ao redor do professor, mas ser repensada de forma a facilitar a aprendizagem.

O projeto de vida de cada aluno também é tema fundamental na formação dos educadores. De acordo com os organizadores do projeto, o estudante deve ter espaço e apoio para dedicar-se aos seus interesses e objetivos de vida. A tecnologia já é parte da realidade dos alunos. Dessa forma, o Inova Escola tem o papel de trazê-la como aliada e ferramenta para a aprendizagem.

sábado, 24 de junho de 2017

Gestores da Educação discutem em São Paulo as reformas no Ensino Médio

Secretária Cláudia Santa Rosa fala no Seminário 
A reforma do ensino médio e sua implementação foram temas centrais da discussão realizada pelo Instituto Unibanco nos últimos dias 21 e 22 deste mês em São Paulo (SP). O Seminário Internacional Desafios Curriculares do Ensino Médio: implementação e flexibilização levou representantes de instituições públicas, iniciativa privada, Sistema S, organizações internacionais e jovens a discutir qual é o caminho para o novo ensino médio proposto pelo Ministério da Educação e como ele deverá se comportar diante a educação profissional.

“Tenho a percepção de que temos um enorme atraso na educação, mas também um grau de preocupação crescente sobre o estado do nosso Ensino Médio”, observou o vice-presidente do Conselho de Administração do Instituto Unibanco e ex-ministro da Fazenda, Pedro Malan, na abertura do encontro. “É mais que oportuna à discussão sobre os desafios curriculares”, disse.

Durante os dois dias de discussão, o seminário fez um longo panorama sobre como as redes estaduais estão se preparando para a reestruturação do Ensino Médio, as experiências internacionais de reorganização dessa etapa e qual o papel da educação técnica e profissional dentro da nova proposta.

Pelo RN, a secretária estadual de Educação, professora Cláudia Santa Rosa, destacou, durante sua participação no seminário, que as mudanças propostas para o Ensino Médio deverão ocorrer de forma plural: “A reestruturação dessa modalidade de ensino demanda capacidade dos gestores das regionais e das escolas dominarem o debate pedagógico e administrar os desafios de gerir a equipe e o currículo”, destacou a secretária.

A questão da formação inicial e continuada de professores foi apontada como um dos principais desafios para flexibilização, pois prevê a organização curricular por áreas do conhecimento e demanda, assim, que os docentes sejam preparados para uma nova forma de ensinar. “Não consigo pensar em reestruturação de currículo sem pensar na formação continuada”, afirmou o professor Bruno Barreto, da rede pública do Rio de Janeiro (RJ).

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Escola pública de Florânia realiza oficinas de xilogravura e literatura de cordel

"Teônia Amaral" avança na prática do ensino
Por Jorge Ivan Barbosa

A Escola Estadual Teônia Amaral, localizada no município de Florânia, região do Seridó do RN, está realizando durante todo o mês de junho oficinas de Literatura com a coordenação dos poetas Joelson Araújo e Domingos Toscano, e a participação efetiva dos estudantes. A ação visa a valorização da literatura de cordel junto à comunidade escolar.

A Escola também realizou uma oficina de orientação e produção de xilogravura com participação de 30 alunos. Na oficina, coordenada pelo xilogravurista Jefferson Campos, os estudantes aprenderam técnicas de como uso de celular ajuda na produção da xilogravura , o que representa, na prática, uma tecnologia de milênios sendo auxiliada por uma tecnologia do século XXI. O trabalho foi orientado pelo xilogravurista Jefferson Campo que orientou a produção de xilogravura.

A xilogravura é provavelmente de origem chinesa, sendo conhecida desde o século VI. No ocidente ela se firma durante a Idade Média. No Nordeste brasileiro vem a ser aperfeiçoada e formar dupla com a literatura de cordel.