domingo, 13 de agosto de 2017

Estudante da UFRN ganha prêmio em evento de computação da Saúde em São Paulo

Trabalho tem reconhecimento em grande
evento de informática médica
Estudante de bacharelado em Tecnologia da Informação do Instituto Metrópole Digital da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Vitor de Godeiro Marques, ganha prêmio de melhor trabalho em andamento no 17º Workshop de Informática Médica ocorrido em São Paulo (SP) no mês de julho. O evento aconteceu em paralelo ao 37º Congresso da Sociedade Brasileira da Computação e reuiniu pesquisadores , estudantes, professores e profissionais interessados na computação na área da Saúde.

O trabalho “Segmentação Semi-Automática de Úlceras para Terapia Larval”, estudo sobre um algoritmo de segmentação semiautomática de imagens de úlceras para auxiliar a Terapia Larval, desenvolve a ideia de a partir de fotos da úlcera tiradas de um smartphone, o software realize a aferição da área de necrose e indique quantas larvas e quantas aplicações devem ser realizadas para cada paciente.

A premiação é um feito considerável para o aluno de graduação, principalmente por se tratar de um trabalho que envolve três áreas distintas de pesquisa: computação, saúde e biologia. O trabalho de Vitor Marques foi desenvolvido em um projeto interdisciplinar envolvendo os docentes Bruno Santana (IMD), Bruno Motta (DIMAP), Renata Gama (CB) e a enfermeira Julianny Ferraz (HUOL).

A terapia larval consiste na utilização intencional de formas imaturas de moscas desinfectadas, criadas em laboratório para a limpeza e remoção de tecidos desvitalizados em feridas com difícil cicatrização, tais como úlceras de pé diabético, úlceras pós-cirúrgicas infectadas, úlceras de decúbito, úlceras por estase venosa e em queimaduras. Essa terapia, pioneira no Brasil, já vem sendo utilizada no tratamento de pacientes do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) desde 2011. Agora essa iniciativa recebe um reforço da computação.

Atualmente, milhares de pacientes com úlceras de difícil cicatrização vêm sendo tratados com terapia larval nos Estados Unidos, Austrália, Israel e vários países da Europa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário