sexta-feira, 29 de setembro de 2017

UFRN abre vagas para pós-docs em pesquisa de alto nível na área do petróleo

Núcleo de Estudos em Petróleo da UFRN
Estão sendo oferecidas cinco vagas para pós-docs em projeto na área de Novos Métodos para Inversão Completa das Formas de Onda e aplicações na exploração de petróleo. O projeto é desenvolvido por parceria firmada entrea a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Shell.

A oferta á voltada para doutores nas áreas de Física, Geofísica, Matemática Aplicada, Computação de Alto Desempenho e áreas correlacionadas. Os candidatos selecionados irão receber uma bolsa no valor de R$ 6.819,00 por mês, com duração inicial de 2 anos (iniciando em Nov/2017) podendo ser renovada por mais 2 anos. O projeto será executado no Campus Central da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em Natal (RN).

Os interessados podem se candidatar enviando o Curriculum Vitae (CV) para o e-mail fwi_project@fisica.ufrn.br até o dia 20 de outubro de 2017.

A UFRN e a Shell buscam candidatos com conhecimentos avançados em pelo menos uma das seguintes áreas: Equações Diferenciais a Derivadas Parciais, Processos de Otimização, Métodos de Inversão, Otimização baseada em métodos livres de derivadas, Representações Esparsas, Transformada Wavelet, Física Estatística e Computacional, Sistemas Complexos, Inversão Sísmica, Métodos Numéricos, Otimização de Algoritmos e Códigos Computacionais, e Computação de Alto Desempenho.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Natal: Alunos do Colégio das Neves criam pastilha contra o Aedes aegypti

Alunos na produção da pastilha (Foto: Divulgação)
Pauta: Tadeu Oliveira

Estudantes da 2ª série do Ensino Médio do Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal, desenvolveram uma pastilha natural que atua como inseticida no combate a larva do mosquito Aedes aegypti, mosquito transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika.

A pastilha, chamada de “anti-dengue”, foi produzida no laboratório de Ciências do Colégio, passando por todo um procedimento de pesquisa, criação, observação e testes durante cinco meses. O produto criado pelos estudantes foi apresentado ao público em exposição científica realizada nas dependências do Colégio na terça-feira (19).

A durabilidade da pastilha, que tem custo baixo de produção, é de três a cinco dias. Leva em sua composição hipoclorito de sódio, que conta com propriedades que atuam na prevenção da proliferação do mosquito. “É algo que vem para somar na luta contra o Aedes aegypti”, ressalta o professor de Química, Robson Correia, professor orientador da experiência científica.

O experimento foi possível graças ao empenho dos alunos, que chegaram a arrecadar recursos financeiros para sua produção. “Boa parte do dinheiro doado para a pesquisa foi de economias de nossas mesadas. Afinal, pesquisa é um investimento e nossa intenção é ajudar à sociedade”, disse Jorge Eduardo Oliveira, 16 anos.

Exposição científica

O Painel Científico foi aberto na segunda-feira (18), às 11h, no Auditório Madre Francisca Lechner, reunindo os projetos realizados no Núcleo de Aprofundamento de Estudos do Colégio das Neves. A exposição dos trabalhos, iniciada na terça (19), prossegue nesta quarta (20), das 7h às 12h30, com a apresentação de cerca de 100 experimentos distribuídos entre o Ensino Médio e Ensino Fundamental em estandes montados no estacionamento do Colégio.