domingo, 8 de outubro de 2017

Professor do RN faz palestra sobre Educação Profissional na Universidade do Porto

Otávio Augusto, especialista em Educação Profissional
O professor Otávio Augusto de Araújo Tavares, ex-secretário estadual da educação do RN, ministrou palestra na quinta-feira (12) na Universidade do Porto (FEP), em Portugal, sobre os desafios atuais da Educação Profissional no Brasil. O evento faz parte do Seminário de Economia Social, no âmbito da licenciatura.

O tema da palestra dirigida aos estudantes de Economia Social é "Educação Profissional no Brasil: reflexões e desafios atuais".

“Esta é a segunda vez que trato deste tema em Portugal, a primeira vez foi em 2015”, lembrou o professor Otávio Augusto, doutor em educação com experiência e atuação na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do RN (IFRN).

O professor Otávio informou que o convite para a palestra em Portugal, feito através da professora Maria da Conceição Pereira Ramos, da Universidade do Porto, se deve a necessidade de continuar a troca de experiências e o debate que vem sendo realizado entre profissionais de instituições brasileiras e de Portugal, quanto a trabalhos acadêmicos em nível de doutorado e pós-doutorado. No caso do Brasil, por exemplo, as últimas alterações feitas com a Lei n. 13.415/2017 pelo atual governo na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) afetam o ensino médio do país em sua estruturação com cinco itinerários formativos: linguagens e suas tecnologias; matemática e suas tecnologias; ciências da natureza e suas tecnologias; ciências humanas e suas tecnologias e; formação técnico-profissional.

Para o professor Otávio Augusto, isto modifica totalmente a estrutura que vem sendo desenvolvida na perspectiva de uma educação integral, porque os alunos seriam matriculados em apenas uma das áreas. Em Portugal, a educação secundária e educação profissional de nível técnico já vêm sendo desenvolvidas em itinerários formativos diferentes.

Atualizar discussão

Devido as discussões que vêm sendo desenvolvidas no Brasil e os diferentes trabalhos que são construídos por estudantes “fui chamado para atualizar a discussão, após as modificações introduzidas, já que o trabalho apresentado em 2015 na FEP/Porto, não contemplava os desafios postos pela Lei que alterou a LDB”, disse Otávio.

Sobre o diferencial entre Brasil e Portugal com relação a educação profissional, o professor Otávio compara que num paralelo entre os dois países, em Portugal já existe a prática do uso de itinerário formativo profissionalizante e, neste caso, “o peso do currículo é somente com componentes de educação profissional com tempo integral dos estudantes nas escolas”, avalia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário