sábado, 25 de novembro de 2017

Natal: Praça de Neópolis ganha espaço cultural em homenagem a Geraldo Evangelista, um dos grandes professores de história do país

Inauguração da Praça Geraldo Evangelista em Neópolis
“Riquezas de informações” assim define o médico Pedro Cavalcante sobre as aulas de história do professor Geraldo Lucas Evangelista (Geraldão) ao falar em nome dos amigos do professor Geraldão, na tarde da sexta-feira (24), durante inauguração do Espaço Cultural que leva o nome do renomado professor, na praça central de Neópolis, em Natal (RN).

O espaço na praça central de Neópolis foi criado para fomentar a cultura do bairro, no qual Geraldo Lucas morou por grande parte da sua existência. O evento reuniu centenas de amigos, ex-alunos, familiares, escoteiros e pessoas ligadas ao movimento literário e em defesa da natureza.

O médico Pedro Cavalcante lembrou que Geraldo Lucas era verdadeiro contador de história e encantava em suas aulas porque “como professor, ele era perfeito”. Foi viajando pela costa Branca do Rio Grande do Norte que Pedro Cavalcante mais se emocionou com as “histórias” do velho amigo. “Ele me levou até Macau para apresentar um lugar que considerava belo, a Praia de Diogo Lopes”, falou o médico recordando o carinho de Geraldo com sua terra natal e suas belezas naturais.

Grande legado para ensino de história do país

Para o professor e empresário César Jácome, o mestre Geraldo Lucas era uma enciclopédia e, com sua voz marcante, agradava a todos os alunos. “Hoje ele merece ser lembrado com toda virtude de um homem bom. Geraldão deixou um grande legado para o ensino de história do país”, disse.

Outro professor e amigo de cursinhos livres em Natal, o professor Augusto Macedo, destacou que Geraldão possuía um estilo próprio para lidar com o ensino de história. “Geraldo Lucas era dono de uma bagagem cultual fora de série e uma honestidade espetacular”, fala Augusto.

Geraldo Lucas Evangelista morreu em Natal no dia 04 de fevereiro de 2010. Trabalhou na Universidade Federal do Rio Grande Norte e em diversas escolas públicas e particulares em Natal e Macau – terra na qual nasceu e militou nos movimentos sociais da igreja católica durante os anos do golpe militar. Ele era casado com a professora Socorro Evangelista e pai de quatro filhos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário