segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Professora da UFRN defende no Senado a manutenção de Paulo Freire como Patrono da Educação Brasileira

Paulo Freire em sala de aula (Foto: Tribuna do Norte)
A professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Marlúcia Menezes de Paiva, fala na tarde desta terça-feira (28), na Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal, em defesa da manutenção do título de Paulo Freire como Patrono da Educação Brasileira.

Cartaz da reunião
Marlúcia Paiva abordará a experiência das “40 Horas de Angicos”, projeto inovador de alfabetização ocorrido no Sertão do Rio Grande do Norte, no ano de 1963, criado e liderado por Paulo Freire. “Minha participação vai ser falar sobre a experiência de Angicos, tanto nos aspectos históricos, como pedagógicos e sociais”, diz Marlúcia.

A defesa do nome de Paulo Freire como Patrono da Educação Brasileira se faz necessária no momento já que existe uma proposta de lei elaborada por um grupo conservador da população solicitando ao Senado Federal que casse esse título dado ao ilustre educador nordestino. Esse processo tem como relatora a senadora potiguar Fátima Bezerra. A reunião do Senado terá também a participação de Moacir Gadotti, do Instituto Paulo Freire.

Nenhum comentário:

Postar um comentário