sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Jogos Escolares do RN mobilizam mais de 44 mil atletas

Abertura dos Jerns 2019 no ginásio do DED em Natal (Foto: Demis Roussos)
A fase final da 49ª edição dos Jogos Escolares do Rio Grande do Norte (Jerns) foi aberta na tarde da quinta-feira (10), com a marcante presença de alunos/atletas e professores em solenidade no Ginásio Marcelo de Carvalho (DED), na Candelária, em Natal. Neste ano, mais de 44 mil alunos estão diretamente envolvidos em todas as etapas dos jogos, número superior a edição do ano passado. Os jogos fase final começam nesta sesta-feira (11) e seguem até o dia 25 deste mês.

Os Jerns são uma histórica realização da Secretaria da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer do RN, e contam com 14 fases regionais abrangendo todo o estado com o envolvimento de 1006 escolas do sistema estadual de ensino. Na fase final são 588 escolas disputando com a participação de 14 mil estudantes/atletas.

"Oo Jerns têm um simbolismo que ultrapassa gerações. Sem dúvidas, uma verdadeira celebração do esporte", destacou o secretário de Educação, Getúlio Marques, durante a solenidade de abertura. “O esporte de hoje nos transforma no cidadão do amanhã”, ressaltou.

“Os jovens que participam do Jerns têm a grande oportunidade de trocarem experiências. Quem vivenciou essa competição entende o prazer de ser vitorioso nos jogos", observou na oportunidade o vice-governador do RN, Anternor Roberto,

Para a aluna Ana Júlia Batista, 15 anos, da escola estadual Castro Alves, o espírito esportivo, evidenciado durante os jogos, torna o Jerns uma experiência marcante. “Trata-se de uma competição muito importante, pois é uma oportunidade de vários estudantes conhecerem o esporte em si, entenderem como funcionam e despertar o gosto pelo esporte”, disse a estudante. Ana participa do JERNs há três edições e, neste ano, compete nas modalidades de pentatlo, prova combinada, arremesso de peso e lançamento de dardo. Ela é a atual campeã brasileira sub16 de pentatlo e recordista da prova. Durante a abertura dos JERNs, a jovem atleta foi aluna responsável pela corrida do fogo simbólico.

No total, 27 modalidades estão presentes no Jerns. Badminton, basquete, ciclismo, futebol, handebol, judô, surf, taekwondo e xadrez são algumas delas a serem disputadas nas diversas praças esportivas da capital. Os horários, locais e competições a serem realizadas na etapa final podem ser conferidos no site da Coordenadoria de Desporto Escolar da SEEC.

terça-feira, 1 de outubro de 2019

Caicó: Ceres da UFRN faz encontro de Educação Infantil

Evento reuniu educadores e pesquisadores do ensino infantil
O Centro de Ensino Superior do Seridó (Ceres) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) faz encontro de pesquisadores e trata de práticas pedagógicas voltadas para a Educação Infantil. O 2º Encontro de Pesquisas e Prática Pedagógicas na Educação Infantil aconteceu na quinta-feira (26) e sexta (27) no auditório do Ceres – Campus de Caicó, tendo como tema principal: “Educação Infantil em Tempos de resistência: embates e desafios”. O evento, voltado para os educadores que atuam no âmbito do ensino infantil, contou com a presença de pesquisadores, professores, alunos e futuros professores, gestores educacionais, e profissionais da pedagogia.

A professora e pesquisadora da UFRN, Marly Amarilha, fez a palestra de encerramento do encontro, na tarde da sexta-feira, falando sobre o tema “Literatura Infantil e a construção da identidade na infância”. A mediação foi da professora Nazineide Brito (Ceres/UFRN).

O evento contou também com mesas redondas sobre temas como “Pensamento e Linguagem na Educação Infantil” e “Identidade e diversidade na infância: valorizando as diferenças”; rodas de conversas; e diálogos pedagógicos. A conferência de abertura foi feita pela professora Patrícia Corsino, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Mediação da professora Jacicleide Ferreira T. da Cruz Melo (UFRN).

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

NEI da UFRN: a escola infantil com qualidade social

A escola infantil aberta e eficaz na qualidade
Escola infantil pública modelo e referência em toda a região Nordeste, o NEI (Núcleo de Educação da Infância) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), consolida sua posição de vanguarda na qualidade do ensino com nota de 7.7 no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) realizado no ano de 2017. O IDEB do NEI ficou bem acima da média do município de Natal. 4.8, e do estado do Rio Grande do Norte, 4.5. Os números do IDEB, neste caso, correspondem ao Ensino Fundamental – 4ºs e 5ºs anos.

A média do IDEB, que ratifica pela via da estatística o que ocorre no ensino de qualidade social cotidiano do NEI, chega no momento em que a instituição comemora os seus 40 anos de existência e cada vez mais evidencia que a educação pode, e deve, ser prazerosa e eficiente.

O NEI desde sempre tratou de se dissociar de qualquer tipo de burocratismo acadêmico e a desenvolver trabalho voltado para a pessoalidade de cada um dos membros de sua comunidade escolar – alunos, educadores, gestores, pais de alunos e funcionários. A atividade educacional direta e pessoal tornou o NEI na reconhecida Escola da Infância na opinião de quem realmente interessa, da comunidade natalense. O respeito da população despertou também o desejo dos pais de terem filhos estudando no NEI, provavelmente a instituição de ensino infantil mais procurada de Natal, e isso não se deve ao fato de ela ser gratuita, outras também são, mas de ela representar para o aluno a experiência única do verdadeiramente agradável processo do ensino/aprendizagem. Em sua história, o NEI não tem necessitado de publicidade, nem mesmo de destaques da titubeante comunicação da UFRN, os próprios pais de alunos se encarregam de falar para a comunidade da satisfação de ter seus filhos estudando na instituição.

Organizando no tempo e no espaço

A planejada organização de turmas do NEI leva em consideração a faixa etária das crianças e o equilíbrio no tempo e no próprio espaço, com a meta de favorecer a segurança e a construção da autonomia. A estrutura por faixa etária é feita com as crianças de 2 a 3 anos de idade pertencendo a turma 1; as de 3 a 4 anos, na turma 2; as crianças de 4 a 5 anos, na turma 3; as de 5 a 6 anos, na turma 4; as de 6 a 7 anos, no 1º ano; as crianças de 7 a 8 anos, no 2º ano; as 8 a 9 anos, no 3º ano.

Devidamente distribuídas nas turmas que levam em consideração rigorosa a faixa etária, os alunos têm uma rotina no ambiente escolar baseada em momentos de: roda inicial; atividade; lanche; parque; história; atividade; e roda final. Cada sala de aula conta com material disponível em locais específicos para o favorecimento das práticas educacionais: canto de leitura; canto dos jogos; canto do faz de conta; canto da roda. A sala de aula também tem espaços próprios em suas paredes para a apresentação de produções de temas de pesquisas, imagens e textos coletivos.

O NEI conta também com outros fortes espaços de caráter pedagógico como a biblioteca, brinquedoteca, sala de multimídia, cozinha experimental, parques, auditório, solário, espaço de atendimento pedagógico e quadra.

Qualidade social na inclusão
O NEI tem se notabilizado também pela garantia da educação inclusiva em suas dependências. “A educação inclusiva somente se efetiva se as situações de aprendizagem puderem atender as demandas individuais e coletivas, por meio de ações e estratégias adequadas a cada situação não só da criança, mas também do grupo e da própria família”, diz sua divulgação institucional. Nesse sentido, o trabalho com as crianças com necessidades educacionais especiais é feito pela equipe pedagógica da instituição desde a inserção da criança na turma 1, possibilitando o desenvolvimento sócio afetivo com os demais colegas e avançando no processo de escolarização. Acompanha a esse procedimento que será constante nos anos de NEI, entrevistas com a família; diálogo com profissionais que porventura atendam a criança fora da escola; contínuo atendimento pedagógico com o uso de estratégias e recursos específicos individualizados; e relatório descritivo em cada bimestre tratando dos avanços obtidos pela criança.

Formação de educadores

Referência no ensino infantil, o NEI, que também tem objetivos formativos na área do aprendizado pedagógico, contribui efetivamente para a formação de professores no âmbito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte com desdobramentos em todo o sistema de ensino do Estado. As práticas exitosas empreendidas no ensino infantil pelo NEI servem como efetivas propostas pedagógicas para serem utilizadas tanto na formação de professores como em sua replicação em outras escolas que atuem diretamente na educação voltada para a mesma faixa etária de alunos.

A história do NEI começa efetivamente em 4 de junho de 1979, funcionando inicialmente como pré-escola, atendendo crianças na faixa etária de 1 ano e 8 meses a 5 anos e 11 meses de idade. Em 2002 o NEI foi regulamentado por Resolução do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFRN e a partir de 2008, o ingresso das crianças foi ampliado para a comunidade em geral sendo estabelecido o sorteio público, via Edital, como forma de acesso. Atualmente é um colégio de aplicação ofertando Educação Infantil (creche e pré-escola) e Ensino Fundamental (1º ao 5º Ano).