quarta-feira, 27 de novembro de 2019

Escola Berilo Wanderley: fazendo e aprendendo ciência

Estudantes expõem conhecimentos adquiridos no projeto
A escola pública carrega uma vantagem sobre qualquer outra: ela não precisa de maiores estruturas para fazer valer seu caráter educador, precisa apenas ser ela mesma, em sua essência de independência, liberdade e criatividade, colocada a favor da aquisição do conhecimento. Exemplo tradicional de instituição pública de ensino forte, a Escola Estadual Berilo Wanderley, localizada na Zona Sul de Natal, realiza este ano grande mobilização de ensino com viés científico e transdisciplinar de conteúdos, facilitando para o aluno a aquisição de conhecimentos em um processo no qual ele mesmo é o protagonista.

Trabalho realizado durante todo o ano letivo, e intensificado nos últimos três meses, o Circuito de Aprendizagem, em sua terceira edição, teve sua culminância, momento de apresentação e compartilhamento de conteúdos de pesquisas e experiências educacionais, nos dias 19 e 20 últimos. Foram 32 trabalhos científicos, envolvendo as disciplinas de História, Geografia, Filosofia, Química, Física, Biologia, Matemática, Educação Física, Língua Portuguesa, ,Línguas estrangeiras (Inglês e Espanhol), Artes, Tecnologia e Informação, e Projeto de Vida. Os trabalhos desenvolvidos pelos alunos do Ensino Médio foram apresentados dentro de uma programação dinâmica que garantiu o compartilhamento de experiências e conhecimentos. 16 trabalhos foram apresentados por dia, 08 pela manhã e mais 08 no turno vespertino. Os estudantes, desta forma, tiveram a oportunidade de apresentarem seus trabalhos e verem o que foi feito pelos outros.

O tema mais presente nos trabalhos desenvolvidos pelo turno vespertino foi o da história do bairro de Pirangi, no qual se encontra a “Berilo Wanderley”. “Foram feitos levantamentos de dados históricos e geográficos, e da vida da comunidade. A intenção é produzir um livro com o resultado do trabalho”, diz a professora Elizângela Soares, que atua no apoio pedagógico do turno vespertino.

Alimentação, Vida, Saúde e Sociedade

Com concorrida apresentação no período vespertino, o projeto interdisciplinar “Vida, Saúde e Sociedade: influência da alimentação na vida do homem”, tratou do contexto cultural e social das pessoas, no qual se inclui a vida de cada aluno e de cada morador que faz a comunidade.

Os alunos fizeram pesquisas com as pessoas da instituição escolar, levando em consideração aspectos como o peso; a influência da mídia na alimentação; e sobre os mitos e verdades no veganismo.

O projeto juntou as disciplinas de Biologia, Educação Física e Projeto de Vida, mobilizando esforços, criatividades e experiências de três significativas áreas do conhecimento e da própria vida humana. O sucesso, traduzido pelo interesse e participação dos alunos, e pelo saber adquirido, em uma experiência que não terá como ser esquecida pelos estudantes, é observado com satisfação pelos educadores, que falam sobre o projeto e, mais notadamente, sobre a própria iniciativa do grande evento educacional. “O circuito tem sido transformador porque os alunos se transformam pela construção do conhecimento com os próprios estudantes sendo protagonistas”, ressalta Angélica Katiana Moraes Leal, professora do Projeto de Vida.

Para o professor de Biologia, Wilianypson Diógenes, “o circuito de aprendizagem é integrador porque promove um trabalho desenvolvido desde o início do ano com áreas afins do conhecimento reunindo conteúdos estudados até a sua aplicação, com os estudantes interagindo no processo”.

Paulo Soares, professor de Educação Física, diz que “o circuito representa conhecimento porque os vários temas são apreendidos pelos alunos além de seus próprios trabalhos, representando uma abrangência ampla de aprendizagem”.

Participante do projeto que trata da alimentação, da saúde e da vida, Francisca das Chagas Rodrigues da Silva, 18 anos, 1º ano do Ensino Médio, moradora do bairro de Ponta Negra, fala que o trabalho desenvolvido “traz conhecimento em várias áreas, como saúde, comércio, mídia e alimentação. Todo esse trabalho nos trouxe o desejo de sempre saber mais e com mais profundidade”.

Elenildo Rodrigues Rosa, 16 anos, aluno do 1º ano do Ensino Médio, morador em Nova Parnamirim, diz que o trabalho “representa conhecimento já que através dele podemos ver as coisas mais a fundo, pesquisarmos mais a fundo, irmos além do que a mídia e a internet dizem pra gente”.

A Escola Estadual Berilo Wanderley, localizada no bairro de Neópolis, em Natal, oferece Ensino Fundamental, Novo Ensino Médio, e Ensino Técnico em Informática, contando com mais de 900 estudantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário