Pular para o conteúdo principal

Pandemia: aulas não-presenciais dão continuidade à aprendizagem no ensino público estadual

Devido à pandemia, as atividades escolares presenciais de todo o sistema estadual de educação estão suspensas desde o dia 18 de março. Desde os primeiros momentos, a Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC) tem trabalhado em alternativas para dar continuidade ao processo ensino-aprendizagem. Esse conjunto de iniciativas englobam atividades online, aulas na TV e rádio e entrega de material impresso.

Uma das principais ferramentas ofertadas pela SEEC é o Escola Digital, ambiente virtual de aprendizagem dentro da estrutura do Sistema Integrado de Gestão da Educação (SIGEduc), disponível em www.sigeduc.rn.gov.br. Dentro da Escola Digital é possível fazer videoconferências entre professor e alunos, com a apresentação de telas compartilhadas e chat. Já são mais de 90 mil salas virtuais abertas na plataforma.

Para o professor Sthepson Oliveira, pedagogo que leciona para turmas do ensino fundamental da escola estadual Professor Severino Bezerra, localizada em Tangará, a Escola Digital favorece o processo de inclusão digital dos estudantes. “Estamos vivenciando um período de reinvenção das metodologias da informação, comtemplando, dessa forma, a cultura digital, ponto presente na Base Nacional Comum Curricular. A Escola Digital apresentasse como uma importante ferramenta de inclusão digital, pois ela reúne vários recursos disponíveis para os alunos, permitindo que as escolas cheguem aos alunos nesse momento de pandemia”, explica o professor.

Partindo da Escola Digital, os educadores têm acesso a uma gama de recursos que são disponibilizados por meio de outros parceiros, como as mais de 14 mil páginas de conteúdo e 40 mil exercícios disponíveis no portal educacional ClickIdeia e as ferramentas de ensino da Google of Education.

Essas atividades têm mantido a rotina de estudos dos alunos, como a da estudante Anna Júlia Bezerra, 11 anos. Aluna do 5º ano, ela não esconde a saudade da turma e está satisfeita com a interação com o professor. “Seria bom estar na escola, mas estou gostando das turmas virtuais. Estou aprendendo e é bom ver o interesse do professor em querer ajudar a gente”, destaca a aluna da escola estadual Severino Bezerra.

Para normatizar as ações, a pasta publicou a portaria da SEEC nº 184, que apresentou as Normas para Reorganização do Planejamento Curricular e elaboração de planos de atividades não presenciais. Essa portaria foi atualizada pela Portaria 368.

As Normas publicadas pela SEEC tem a finalidade de reorganizar e sistematizar o Calendário Escolar 2020 e orientar o desenvolvimento curricular a partir de atividades não presenciais nos espaços escolares e não escolares, em regime excepcional e transitório, durante o período de isolamento social motivado pela pandemia, nas unidades escolares que optarem pela inclusão dessas atividades em seu Projeto Pedagógico, orientadas pelas equipes das 16 Diretorias Regionais de Educação e Cultura (DIREC).

Durante o período de atividades não presenciais, a SEEC está fazendo o acompanhamento dos alunos e fará as avaliações com finalidade de obtenção de nota com os estudantes concluintes dos ensinos fundamental e médio, requisito necessário para ingresso em processos seletivos.

ESTRATÉGIAS DE ENSINO


Além da Escola Digital, do ClickIdeia e das ferramentas de ensino da Google of Education, a secretaria estadual de Educação lançou também aplicativos para melhorar a dinâmica escolar. Com o objetivo de contribuir para o processo de aprendizagem, os apps são voltados para facilitar a interação entre estudantes e professores durante o período de distanciamento social.

Disponíveis para os sistemas Android e IOS, os apps EducaRN em Ação e Conferência SIGEduc RN são gratuitos e tratam-se de ferramentas digitais cujo objetivo é possibilitar o acesso a conteúdos educacionais, bem como atuar como uma ponte que colabore com a comunicação à distância entre estudantes e professores. Além disso, as aplicações agregam materiais voltados para todas as etapas e modalidades de ensino da rede estadual de educação.

O EducaRN em Ação dispõe de conteúdos destinados à preparação dos estudantes para Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), videoaulas e notícias. Não é necessário login para acessar o app, que também pode ser utilizado por estudantes da rede privada e municipal. Além disso, a ferramenta ainda dispõe de uma função que permite ao usuário baixar conteúdos da plataforma que podem ser usados off-line.

O aplicativo Conferência SIGEduc RN trata-se de uma ferramenta voltada para as necessidades dos estudantes e dos professores. Além disso, uma das principais funções do aplicativo é possibilitar a realização webconferências de maneira mais prática.

AULAS PELO RÁDIO E TELEVISÃO

Além disso, pela TV, aulas estão sendo exibidas de segunda a sexta-feira, por meio da parceria com a TVU (UFRN), UERNTv, TV Assembleia e Canal Futura. As aulas apresentadas fazem parte do projeto consolidado das teleaulas e trazem conteúdos específicos tanto para alunos que estão cursando o Ensino Fundamental quanto para os do Ensino Médio.

Com amplo alcance e linguagem acessível, o rádio também está sendo utilizado como uma ferramenta estratégica no ensino remoto. Voltado para a Educação de Jovens e Adultos (EJA) o “EJA em Ação”, programa de rádio voltado à continuidade da trajetória escolar dos educandos, tem alcançado bons resultados na região de Caicó. Em Macau, também estão sendo realizadas atividades radiofônicas.

Para os alunos que não têm acesso a nenhum recurso digital, estão sendo ofertados conteúdos impressos como apostilas, que são entregues nas casas dos estudantes ou retirados, em horários marcados, pelos estudantes nas sedes das unidades de ensino.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

UFRN: Professora Selma Jerônimo recebe prêmio da Universidade de Iowa nos Estados Unidos

Trabalho de pesquisas desenvolvido pela professora Selma Jerônimo, da  Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) na área de saúde pública, foi contemplado com o prêmio internacional Impact Award, concedido pela Universidade de Iowa, dos Estados Unidos. O prêmio é destinado à profissionais ou às instituições que colaboram com a Universidade de Iowa na construção de conhecimentos voltados para programas sociais que melhorem a vida das pessoas. Professora Selma Jerônimo A pesquisadora Selma Jerônimo, diretora do Instituto de Medicina Tropical da UFRN, é parceira da Universidade de Iowa desde o ano de 1996. Ela lembra a importância que está tendo o conhecimento gerado no próprio Instituto, na Escola Maternidade Januário Cicco, no Centro de Biologia da UFRN e no Departamento de Infectologia do Hospital Gizelda Trigueiro, para melhorar a vida das pessoas no Rio Grande do Norte. “A contribuição diária do IMT, MJEC, CB e do Departamento de Infectologia do HGT quebra o cic

Moacir de Lucena: o semeador de escolas

Moacir de Lucena e família em solenidade da UFRN (outubro de 2003) Matéria publicada na edição de novembro da Revista Foco English version Professor, tipógrafo, juiz, advogado, músico, jornaleiro, poeta, normalista, chefe escoteiro, esportista, animador cultural, educador itinerante.  Em sua trajetória de 100 anos de vida pelo Rio Grande do Norte, o oestano filho de Martins, Moacir de Lucena, procurou ser, acima de tudo, um servidor na luta pelo progresso social das pessoas. Desde cedo entendeu que esse progresso social só chegaria pela via da Educação.  Neste campo, de forma inovadora criou um método próprio de alfabetização com resultados concretos junto aos estudantes. Método que depois foi empregado com estardalhaço por Paulo Freire. Mas, Moacir de Lucena chegou antes, sem estardalhaço, sem propaganda, mas com a luminosidade das coisas feitas e da transformação extraordinária do analfabeto em alfabetizado. Entre as tentativas de definir Moacir de Lucena, seu filho L

7º SEL: UFRN prepara grande evento de Educação e Leitura para novembro

Reunião com a reitora sobre o 7º  SEL Matéria atualizada às 12h30 desta quinta-feira (2) Estão adiantados os preparativos para o 7º Seminário Educação e Leitura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), um dos maiores eventos no gênero no país. O 7º Seminário Educação e Leitura (SEL) acontece de 11 a 14 de novembro no Centro de Convenções do Praiamar Natal Hotel, em Ponta Negra, e deverá reunir mais de 1.000 participantes de todas as regiões do Rio Grande do Norte e de várias partes do Brasil. Em reunião ocorrida na manhã desta quinta-feira (2) a reitora da UFRN, Ângela Paiva garantiu total apoio ao evento. Participaram da reunião no gabinete da reitoria, a professora Marly Amarilha, a diretora do Centro de Educação da UFRN, Márcia Gurgel, e a professora Ângela Naschold, da equipe de organização do Seminário. As inscrições estão abertas a partir desta quarta-feira (01) para ouvintes e para apresentação de trabalho ou oferta de minicurso.  Equipe do Se